Triglobe

publicidade

Bula do remédio Triglobe. Classe terapêutica dos Antibióticos Sistêmicos. Princípios Ativos Sulfadiazina e Trimetoprima.

Indicação

Para que serve Triglobe?

Infecções causadas por microorganismos Gram-positivos e Gram-negativos sensíveis aos componentes da fórmula.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Hipersensibilidade às sulfonamidas e à trimetoprima, hepatopatias graves, discrasias sangüíneas (por exemplo, anemia megaloblástica) e insuficiência renal grave. Triglobe não deve ser administrado a crianças prematuras ou crianças até 2 meses de vida ou durante a gravidez. - Uso durante a lactação: a trimetoprima e a sulfadiazina passam para o leite materno, entretanto, o risco de afetar a criança é improvável nas doses terapêuticas. Como para qualquer outra droga, a trimetoprima e a sulfadiazina somente devem ser usadas durante a lactação se, a critério médico, os benefícios potenciais superarem os possíveis riscos.

Posologia

Como usar Triglobe?

Comprimidos: adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido cada 12 horas ou 2 comprimidos uma vez ao dia. Crianças de 5 a 12 anos: 1/2 comprimido cada 12 horas ou 1 comprimido uma vez ao dia. Suspensão: 2 meses a 1 ano: 2,5 ml; 1 a 5 anos: 5 ml; 5 a 12 anos: 10 ml. As doses acima citadas podem ser administradas como dose única diária ou em 2 doses divididas. - Superdosagem: aguda: os sinais e sintomas são: cólicas, náuseas, vômitos, tonturas, cefaléia, hematúria, depressão mental. O tratamento deve ser de suporte e manutenção com lavagem gástrica, indução do vômito, indução da diurese pela acidificação da urina. Crônica: em altas doses ou em tratamento por períodos prolongados, pode ocorrer depressão da medula óssea, manifestado por trombocitopenia, leucopenia ou anemia aplástica. O tratamento deve ser feito pela administração de leucovorina na dosagem de 5 10 mg/dia. A diálise peritoneal não é eficaz e a hemodiálise só é moderadamente eficaz.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Reações alérgicas: pode ocorrer rash cutâneo, incluindo eritema multiforme (síndrome de Stevens-Johnson) e necrólise epidérmica tóxica (síndrome de Lyell). Têm sido relatados poucos casos de fotossensibilidade. Reações hematológicas: trombocitopenia, leucopenia, púrpura e, muito raramente, agranulocitose, pancitopenia e anemia hemolítica, relatadas principalmente em idosos. As reações são geralmente reversíveis com a suspensão do tratamento. Reações gastrintestinais: náuseas, vômitos e diarréia. Foi relatado um caso de diarréia por Clostridium difficile. Outros: têm sido relatados raros casos de meningite asséptica. Podem ocorrer raros casos de alterações da função hepática. - Interações medicamentosas: a associação trimetoprima e sulfadiazina pode aumentar a atividade de derivados cumarínicos. A trimetoprima inibe o metabolismo da fenitoína e, conseqüentemente, aumenta sua eficiência.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Em pacientes com insuficiência renal, a dose deve ser ajustada de acordo com o seguinte esquema: clearance de creatinina > 30 ml/min: 1 comprimido de manhã e à noite; dose normal da suspensão. Clearance de creatinina 15 - 30 ml/min: 1 comprimido cada 24 horas; metade da dose normal da suspensão. Clearance de creatinina < 15 ml/min: contra-indicado. Têm sido relatados poucos casos de alterações hematológicas devido à insuficiência de ácido fólico com altas doses da combinação sulfonamida e trimetoprima. As alterações são reversíveis com a terapia adequada (ácido folínico). Aconselha-se realizar contagens sangüíneas regulares durante longa terapia, especialmente em idosos.

Composição

Cada comprimidocontém: trimetoprima 90 mg, sulfadiazina 410 mg. Cada 5 ml da suspensão oral contém: trimetoprima 45 mg, sulfadiazina 205 mg.

Apresentação

Caixas com 20 comprimidos e suspensão oral em frascos com 100 ml acompanhado de medida graduada em 2,5 - 5 - 7,5 e 10 ml.

Laboratório

AstraZeneca do Brasil Ltda.

SAC: 0800-014 55 78

publicidade