Seloken

publicidade

Bula do remédio Seloken. Classe terapêutica dos Antiarritmicos, Antihipertensivos, Betabloqueadores e Vasodilatadores. Princípios Ativos Metoprolol.

Indicação

Para que serve Seloken?

Seloken comprimido ou solução injetável é indicado para hipertensão arterial, alterações do ritmo cardíaco (incluindo especialmente taquicardia supraventricular), angina pectoris, suspeita ou infarto do miocárdio confirmado.

Seloken também é indicado para tratamento sintomático em hipertiroidismo, alterações cardíacas funcionais com palpitações e profilaxia da enxaqueca.

Uso adulto - Uso oral (Seloken comprimido)

Uso adulto - Uso injetável - Uso hospitalar e/ou profissional (Seloken injetável)

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Seloken não deve ser usado por pacientes com alergia ao metoprolol, aos demais componentes da fórmula ou a outros betabloqueadores.

Posologia

Como usar Seloken?

Seloken Comprimido

Os comprimidos podem ser ingeridos com alimentos ou com o estômago vazio.

Recomenda-se individualizar a dose. As seguintes doses devem ser consideradas como um guia:

  • Hipertensão: a dose recomendada em pacientes com hipertensão é de 100 a 200 mg diários, como dose única pela manhã ou doses divididas (manhã e noite). Se necessário, pode ser adicionada outra droga anti-hipertensiva. O tratamento anti-hipertensivo de longa duração com doses diárias de 100-200 mg de metoprolol tem demonstrado reduzir a mortalidade total, incluindo morte cardiovascular súbita, acidente vascular cerebral e problemas coronarianos em pacientes hipertensos.
  • Angina pectoris: A dose recomendada é de 100 a 200 mg diários, em doses divididas (manhã e noite). Se necessário, pode ser adicionada outra droga antianginosa.
  • Arritmias cardíacas: A dose recomendada é de 100-200 mg diários, em doses divididas (manhã e noite). Se necessário, pode ser adicionada outra droga antiarrítmica.
  • Tratamento de manutenção após infarto do miocárdio: Tratamento de manutenção a longo prazo: em geral é de 200 mg diários, administrados em doses divididas (manhã e noite). Esta dose tem mostrado reduzir o risco de mortalidade (incluindo morte súbita) e reduzir o risco de reinfarto (também em pacientes com diabetes mellitus).
  • Hipertireoidismo: A dose recomendada é de 150-200 mg diários, divididos em 3 a 4 doses. Se necessário, a dose pode ser aumentada.
  • Alterações cardíacas funcionais com palpitações: A dose recomendada é 100 mg diariamente como dose única pela manhã. Se necessário, a dose pode ser aumentada para 200 mg.
  • Profilaxia da enxaqueca: A dose recomendada é de 100-200 mg diários, administrados em doses divididas (manhã e noite).

Seloken Solução Injetável

  • Arritmias cardíacas: Inicialmente até 5 mg injetado intravenosamente à razão de 1-2 mg/min. A injeção pode ser repetida a intervalos de 5 minutos até que se obtenha uma resposta satisfatória. Geralmente uma dose total de 10-15 mg é suficiente. São improváveis os benefícios da terapêutica com doses de 20 mg ou mais.
  • Infarto do miocárdio: Seloken Injetável deve ser administrado intravenosamente o mais rápido possível após o início dos sintomas de infarto agudo do miocárdio. O tratamento deve ser iniciado em unidade coronariana ou similar, imediatamente após a estabilização hemodinâmica do paciente. Deve-se administrar 3 injeções em bolus de 5 mg cada em intervalos de 2 minutos, dependendo das condições hemodinâmicas do paciente sob monitorização intensiva. Se o paciente tolerar a dose intravenosa total (15 mg), deve-se passar à dose de manutenção de 50 mg por via oral, 4 vezes ao dia, iniciando-se 15 minutos após a última injeção intravenosa. Mantém-se este esquema geralmente por 48 horas.

A dose de manutenção é de 100 mg de tartarato de metoprolol (Seloken comprimidos), via oral, 2 vezes ao dia (pela manhã e à noite), ou 200 mg de Seloken (succinato de metoprolol), 1 vez ao dia.

Pacientes que não toleram a dose intravenosa total de Seloken Injetável (15 mg) devem iniciar o tratamento oral com cuidado, utilizando-se uma dose menor.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Podem ocorrer: fraqueza, vertigem, dor de cabeça, mãos e pés frios, náuseas, dificuldade respiratória, dor abdominal, batimento lento do coração, batedeira, diarreia e prisão de ventre.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Informe seu médico se você tem problemas pulmonares, circulatórios, cardíacos, hepáticos ou renais, feocromocitoma ou se teve sintomas de baixa taxa de açúcar no sangue (hipoglicemia).

Antes de qualquer cirurgia, informe ao médico ou ao dentista que está tomando Seloken.

Podem ocorrer: fraqueza, vertigem, dor de cabeça, mãos e pés frios, náuseas, dificuldade respiratória, dor abdominal, batimento lento do coração, batedeira, diarréia e prisão de ventre. Informe seu médico.

Verifique a sua reação ao medicamento antes de dirigir ou operar máquinas, porque, ocasionalmente, podem ocorrer vertigem ou fadiga.

Interações Medicamentosas

Informe seu médico se você tem problemas pulmonares, circulatórios, cardíacos, hepáticos ou renais, feocromocitoma ou se teve sintomas de baixa taxa de açúcar no sangue (hipoglicemia).

Informe seu médico se estiver tomando outros betabloqueadores (inclusive colírios) ou outros medicamentos para tratamento de problemas do coração e circulação (anti-hipertensivos, antiarrítmicos), inibidores da MAO (monoaminoxidase), álcool, antiinflamatórios, medicamentos para diabetes, para tratamento de úlcera e antidepressivos.

O resultado do tratamento poderá ser alterado se o metoprolol for tomado ao mesmo tempo que estes medicamentos.

Composição

Seloken comprimido

Cada comprimido contém:

tartarato de metoprolol............................................... 100 mg

Excipientes q.s.p. ........................................................ 1 comprimido

Excipientes: lactose monoidratada, celulose microcristalina, dióxido de silício, povidona, estearato de magnésio e carboximetilamilopectina sódica.

Seloken solução injectável

Cada ml contém:

Tartarato de metoprolol..............................................................1 mg

Excipientes q.s.p. ……………………………………………..1 ml

Excipientes: propilparabeno, metilparabeno, cloreto de sódio e água para injeção.

Apresentação:

  • Seloken Comprimidos - embalagem com 20.
  • Seloken Solução injetável - embalagem com 3 seringas preenchidas descartáveis contendo 5 ml.

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Redução da pressão arterial, controle das crises de angina de peito, prevenção de problemas no coração após o infarto e tratamento das alterações do ritmo cardíaco.

Tratamento complementar para a redução dos sintomas cardíacos de hipertireoidismo.

Prevenção das crises de enxaqueca.

A meia-vida de eliminação do metoprolol no plasma é em média de 3,5 horas (extremos: 1 e 9 horas).

A taxa de depuração total é de aproximadamente 1 l/min.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Se você esquecer de tomar o comprimido e ainda estiver faltando 4 horas para a próxima tomada, tome a dose perdida, se você só se lembrar quando estiver faltando menos de 4 horas para a próxima tomada, tome somente metade da dose prescrita.

As próximas doses deverão ser tomadas no horário habitual.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Conservar Seloken comprimido em temperatura ambiente (15ºC a 30ºC).

Conservar Seloken solução injetável em temperatura ambiente (15°C a 25°C). Proteger da luz e umidade. Não congelar.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Sintomas:

A superdosagem por Seloken pode ocasionar hipotensão grave, bradicardia sinusal, bloqueio atrioventricular, insuficiência cardíaca, choque cardiogênico, parada cardíaca, broncoespasmo, alteração da consciência/coma, náuseas, vômitos e cianose.

A ingestão concomitante de álcool, anti-hipertensivos, quinidina ou barbitúricos pode agravar as condições do paciente.

Tratamento:

Na presença de hipotensão grave, bradicardia e insuficiência cardíaca iminente recomenda-se a administração intravenosa de um agonista beta-1 em intervalos de 2 a 5 minutos, ou como infusão contínua até que se obtenha o efeito desejado.

Quando um agonista beta-1 não estiver disponível, pode-se administrar dopamina; ou sulfato de atropina i.v. para bloquear o nervo vago. Se o efeito não for satisfatório, pode-se administrar outros agentes simpatomiméticos, tais como, dobutamina ou norepinefrina.

Pode-se também administrar glucagon na dose de 1-10 mg. Pode ser necessário o uso de marcapasso. Para combater o broncoespasmo, pode-se administrar um agonista beta-2 i.v..

Deve-se observar que as doses dos fármacos (antídotos) necessárias para o tratamento da superdosagem do bloqueio beta são muito maiores do que as doses terapêuticas normalmente recomendadas. Isto ocorre porque os receptores beta estão ocupados pelo beta-bloqueador.

Laboratório

AstraZeneca do Brasil Ltda.

SAC: 0800-014 55 78

Dizeres Legais

MS - 1.1618.0071

Farm. Resp.: Dra. Daniela M. Castanho - CRF-SP nº 19.097

publicidade