Ritalina

Bula de Ritalina

Bula do remédio Ritalina. Classe terapêutica dos Psicoestimulantes. Princípios Ativos Cloridrato de Metilfenidato.

publicidade

Indicação

Para quê serve Ritalina?

Ritalina é indicado no tratamento de: Transtorno de déficit de atenção - hiperatividade (TDAH). Ritalina é indicado como parte de um programa de tratamento amplo que tipicamente inclui medidas psicológicas, educacionais e sociais, direcionadas a crianças estáveis com uma síndrome comportamental caracterizada por distratabilidade moderada a grave, déficit de atenção, hiperatividade, labilidade emocional e impulsividade. Narcolepsia: os sintomas incluem sonolência durante o dia, episódios de sono inapropriados e ocorrência súbita de perda do tônus muscular voluntário.

Uso adulto e pediátrico (acima de 6 anos) - Uso oral

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Ritalina atua como um fraco estimulante do sistema nervoso central.

Posologia

Como usar Ritalina?

  • Crianças (6 anos de idade ou acima):

Iniciar com 5 mg, 1 ou 2 vezes ao dia (por ex: no café da manhã e no almoço), com incrementos semanais de 5 a 10 mg.

A dosagem diária total deve ser administrada em doses divididas.

  • Adultos:

A dose média diária é de 20-30 mg, administrada em 2 a 3 doses.

Alguns pacientes podem necessitar de 40-60 mg diários, enquanto para outros, 10-15 mg diários serão adequados.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Ritalina pode causar alguns efeitos colaterais em algumas pessoas.

Estes efeitos são, normalmente, de leves a moderados e, geralmente, são transitórios.

Os efeitos colaterais mais comuns com o uso da Ritalina são nervosismo, dificuldade para dormir e perda do apetite.

Alguns efeitos colaterais podem ser sérios:

  • Febre alta repentinamente.
  • Dor de cabeça grave ou confusão, fraqueza ou paralisia dos membros ou face, dificuldade de falar (sinais de distúrbio dos vasos sanguíneos cerebrais).
  • Batimento cardíaco acelerado; dor no peito; movimentos bruscos e incontroláveis (sinal de discinesia).
  • Equimose (sinal de púrpura trombocitopênica).
  • Espasmos musculares ou tiques.
  • Garganta inflamada e febre ou resfriado (sinais de distúrbio no sangue).
  • Movimentos contorcidos incontroláveis do membro, face e/ou tronco (movimentos coreoatetoides).
  • Alucinações.
  • Convulsões.
  • Bolhas na pele ou coceiras (sinal de dermatite esfoliativa).
  • Manchas vermelhas sobre a pele (sinal de eritema multiforme).
  • Deglutição dos lábios ou língua ou dificuldade de respirar (sinais de reação alérgica grave).

Se ocorrer alguma destas reações, o médico deve ser avisado imediatamente.

Outros possíveis efeitos são:

  • Erupção cutânea ou urticária;
  • Febre, transpiração;
  • Náusea, vômito, dor no estômago, tontura;
  • Dor de cabeça, desânimo, cansaço;
  • Cãibra muscular, boca seca, visão borrada, perda de peso, mudanças na pressão sanguínea, perda de cabelo.

Se um desses efeitos ocorrerem, o médico deve ser avisado.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Ritalina não deve ser usado em pacientes:

  • Alérgicos (hipersensíveis) ao metilfenidato ou a qualquer outro ingrediente de Ritalina.
  • Que tenha batimento cardíaco irregular ou angina grave (dor no peito).
  • Que tenha tireoide hiperativa.
  • Portadora de glaucoma (pressão ocular aumentada).
  • Com ansiedade, tensão ou agitação.
  • Que tenham tiques motores ou se qualquer outro membro da família tenha tiques.
  • Portadores de síndrome de Tourette ou se qualquer outro membro da família seja portador desta síndrome.
  • Que tenham um tumor na glândula adrenal chamado feocromocitoma.

Ritalina não é recomendada para crianças com menos de 6 anos de idade.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Ritalina na gravidez e lactação: informe ao seu médico sobre a ocorrência de gravidez ou lactação na vigência do tratamento ou após o seu término. Informe ao médico se está amamentando.

Ritalina não deve ser usada durante a gravidez, a não ser que seja especificamente prescrita pelo médico.

Ritalina não deve ser administrada durante a amamentação.

Se o medicamento for administrado no final do dia, os pacientes com dificuldade para dormir devem tomar a última dose antes das 18 horas.

Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. A retirada do medicamento pode levar à depressão e a consequências de hiperatividade.

A dose de Ritalina deve ser individualizada de acordo com as necessidades e respostas clínicas dos pacientes.

No tratamento do Transtorno de déficit de atenção - hiperatividade (TDAH), procura-se adaptar a administração do medicamento aos períodos de maiores dificuldades escolares, comportamentais e sociais para o paciente.

Doses diárias acima de 60 mg não são recomendadas.

Se não for observada melhoria dos sintomas posterior à titulação da dose e após o período de um mês, o medicamento deve ser descontinuado.

Ritalina deve ser utilizado com cuidado em pacientes:

  • Com histórico de abuso de álcool ou droga.
  • Com epilepsia ou outras crises convulsivas.
  • Com pressão sanguínea alta (hipertensão).
  • Com qualquer anormalidade cardíaca (por exemplo, anormalidade cardíaca estrutural).
  • Com qualquer outro problema cardíaco corrente ou passado.
  • Que tenham ou tiveram qualquer distúrbio nos vasos sanguíneos cerebrais (ex. aneurisma, acidente vascular cerebral, vasculites).
  • Que tenham psicoses graves, mania grave – seu médico te dirá se você apresenta estas doenças.
  • Com sintomas psicóticos como alucinações (ver ou sentir coisas que não estão presentes).
  • Com comportamento agressivo.
  • Com pensamentos ou comportamentos suicidas.

Caso o paciente esteja dentro de uma destas condições, o médico deverá ser avisado. Ele decidirá se o paciente pode começar/continuar a tomar Ritalina.

Ritalina pode causar tonturas e problemas de concentração. Se o paciente sentir estes sintomas, ele deve ter cuidado ao dirigir veículos ou operar máquinas, ou em qualquer outra atividade em que ele precisa estar atento.

Interações Medicamentosas

Informe ao seu médico sobre qualquer medicamento que esteja usando, antes do início ou durante o tratamento.

Não tome bebida alcoólica, enquanto estiver usando Ritalina.

O médico pode achar necessário alterar a dose ou, em alguns casos, interromper a administração de um dos medicamentos. Por isso, é particularmente importante avisar o médico se o paciente estiver tomando algum dos seguintes medicamentos:

  • Aqueles que aumentam a pressão sanguínea;
  • Inibidores da MAO ou antidepressivos tricíclicos (utilizados no tratamento da depressão);
  • Anticoagulantes orais (usados na prevenção de coágulos no sangue);
  • Alguns anticonvulsivantes (usados no tratamento de crises convulsivas);
  • Fenilbutazona (usado para tratar dor ou febre);
  • Medicamentos que influenciam o sistema dopaminérgico (usados para o tratamento da Doença de Parkinson ou psicoses).

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Os sinais e sintomas de superdose aguda, causada principalmente pela super estimulação do sistema nervoso central e simpático, podem incluir: vômitos, agitação, tremores, hiper-reflexia, espasmos musculares, convulsões (possivelmente seguidas por coma), euforia, confusão, alucinações, delírio, sudorese, rubor, cefaleia, hipertermia, taquicardia, palpitação, arritmias cardíacas, hipertensão, midríase e secura das membranas mucosas.

O procedimento no tratamento consiste na aplicação de medidas de suporte e tratamento sintomático dos eventos de risco à vida, por ex. crises hipertensivas, arritmias cardíacas, convulsões.

Medidas de suporte incluem prevenir o paciente contra a auto-agressão e protegê-lo dos estímulos externos, que poderiam aumentar a hiperestimulação já presente.

Se a superdose for oral e o paciente estiver consciente, o conteúdo gástrico deve ser esvaziado por indução de vômito, seguido da administração de carvão ativado.

Lavagem gástrica com proteção do canal de ventilação é necessária em pacientes hiperativos ou inconscientes, ou aqueles com a respiração debilitada.

Deve ser ministrado cuidado intensivo para se manter adequadas a circulação e as trocas respiratórias; procedimentos de resfriamento externo podem ser necessários para reduzir a hipertermia.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Se o paciente esquecer de tomar uma dose de Ritalina , ele deve tomá-la assim que se lembrar.

As doses remanescentes deste dia devem ser tomadas nos intervalos espaçados regularmente.

Não devem ser tomadas doses dobradas de Ritalina para compensar a dose esquecida.

Em caso de dúvidas, o médico deve ser consultado.

Composição

Cada comprimido contém 10 mg de cloridrato de metilfenidato.

Excipientes: fosfato tricálcico, lactose, amido, gelatina, estearato de magnésio e talco.

Apresentação: Comprimidos sulcados. Embalagens contendo 20 ou 60 comprimidos.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

O produto deve ser conservado em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C) e protegido da umidade.

Laboratório

Novartis Biociências S.A.

SAC: 0800 775 8181

Dizeres legais

MS - 1.0068.0080
Farm. Resp.: Marco A. J. Siqueira - CRF-SP 23.873

publicidade