Ponstan 500 mg

Bula de Ponstan 500 mg

Bula do remédio Ponstan 500 mg. Classe terapêutica dos Analgésicos. Princípios Ativos Ácido Mefenâmico.

publicidade

Indicação

Para quê serve Ponstan 500 mg?

Para o alivio sintomatico da artrite reumatoide (inclusive doenca de still), osteoartrite e dor inclusive muscular, traumatica e dentaria, cefaleia de varias etiologias, pos-operatoria e pos-parto. para o alivio sintomatico da dismenorreia primaria. menorragia disfuncional ou por uso de diu, tendo sido afastadas as demais causas de patologia pelvica. sindrome pre-menstrual. alivio de pirexia em criancas.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Nao deve ser usado em pacientes com historia previa de hipersensibilidade ao principio ativo. devido a possibilidade de sensibilidade cruzada com a aspirina e outros aines, ponstan nao devera ser administrado a pacientes que apresentem sintomas de broncoespasmo, rinite alergica ou urticaria induzidos por estes medicamentos. ponstan e contra-indicado em pacientes com sintomas de ulcera peptica ativa ou inflamacao cronica do trato gastrintestinal superior ou inferior. ponstan deve ser evitado em pacientes com disfuncao renal preexistente.

Posologia

Como usar Ponstan 500 mg?

Ponstan pode ser ingerido as refeicoes em caso de desconforto gastrintestinal. dor media para moderada/artrite/reumatoide e osteoartrite: nos adultos e criancas acima de 14 anos, a dose recomendada e de 500 mg, tres vezes ao dia. dismenorreia: 500 mg, tres vezes ao dia, para ser administrado no inicio da colica menstrual e enquanto persistir a sintomatologia se o medico julgar necessario. menorragia: 500 mg, tres vezes ao dia, com o aparecimento da menstruacao e sintomatologia associada e continuar se o medico julgar necessario. sindrome pre-menstrual: 500 mg, tres vezes ao dia, no inicio da sintomatologia e continuar ate a cessacao da mesma se o medico julgar necessario. doenca de still e acao antipiretica em criancas de tenra idade e criancas acima de 6 meses ate 14 anos: 19,5 mg/kg a 25 mg/kg de peso corporeo ao dia em doses divididas. conduta na superdosagem: em caso de ingestao de dose excessiva, deve-se proceder ao esvaziamento gastrico por inducao da emese ou lavagem gastrica cuidadosa, seguida de administracao de carvao ativado. devem ser tomadas as medidas necessarias para a manutencao das funcoes vitais. uma vez que o acido mefenamico e seus metabolitos apresentam forte ligacao com as proteinas plasmaticas, no tratamento da superdosagem tanto a hemodialise como a dialise peritoneal podem ser de pouca valia. convulsoes, disfuncao renal aguda e coma foram observados com a superdosagem de ponstan. a superdosagem tem sido fatal.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Geral: anafilaxia. gastrintestinais: as reacoes adversas mais frequentes, associadas ao uso de ponstan, referem-se ao trato gastrintestinal. a diarreia e comumente dose-relacionada, geralmente cedendo com a reducao da dose e desaparecendo rapidamente ao final do tratamento. alguns pacientes nao estao aptos a continuarem o tratamento. as reacoes gastrintestinais mais comumente relatadas sao: diarreia, nauseas com ou sem vomitos e dor abdominal. foram relatadas mais raramente: anorexia, pirose, flatulencia, enterocolite, colite, esteatorreia, ictericia colestatica, hepatite, pancreatite, sindrome hepatorrenal, toxicidade hepatica leve, constipacao e ulceracao gastrica com ou sem hemorragia. hematopoieticos: foram observados casos de anemia hemolitica auto-imune, quando em tratamento com ponstan por 12 meses ou mais, reversivel com a descontinuacao do medicamento. tambem casos de decrescimo do hematocrito, leucopenia, eosinofilia, purpura trombocitopenica, agranulocitose, pancitopenia, anemia aplastica e hipoplasia da medula ossea. sistema nervoso central: foram observadas tonturas, sonolencia, nervosismo, cefaleia, visao borrada, convulsoes e insonia. pele e anexos: foram relatados angioedema, edema de laringe, sindrome de stevens-johnson, sindrome de lyell (necrolise epidermica toxica), eritema multiforme, sudorese, urticaria, erupcoes cutaneas e edema de face. renais: insuficiencia renal, incluindo necrose papilar, hematuria, disuria e hiponatremia. sentidos especiais: irritacao ocular, otalgia, perda reversivel de visao de cores. outros: intolerancia a glicose em pacientes diabeticos, palpitacao, dispneia, hipotensao e asma.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Em caso de aparecimento de diarreia, a posologia deve ser reduzida ou o medicamento temporariamente suspenso. certos pacientes que desenvolvem diarreia podem apresentar recorrencia dos sintomas em caso de reexposicao. pacientes tratados cronicamente com aines podem apresentar toxicidade gastrintestinal seria como hemorragias, ulceracao e perfuracao, com ocorrencia ou nao de sintomatologia previa. a hemorragia gastrintestinal tem sido associada com historia previa de ulcera peptica, tabagismo e alcoolismo. pacientes idosos ou debilitados parecem tolerar ulceracao ou hemorragia bem menos que outros pacientes e a maior parte dos relatos espontaneos de eventos gastrintestinais fatais esta nesta populacao. considerando o uso de doses relativamente altas (dentro da faixa recomendada), beneficio suficiente deve ser garantido para compensar o aumento do risco de toxicidade gastrintestinal. o produto deve ser descontinuado em caso de ``rash'' cutaneo. o acido mefenamico pode produzir reacao falso-positiva para compostos biliares urinarios, quando e usado o diazotest. ao suspeitar-se de biliuria, devem ser realizados outros procedimentos diagnosticos, como o teste de harrison. como com outros inibidores de prostaglandina, foram relatados casos de nefrite intersticial aguda com hematuria, proteinuria e ocasionalmente sindrome nefrotica. foi observada tambem toxicidade em pacientes com condicoes pre-renais determinando reducao do fluxo sanguineo renal ou do volume sanguineo; nesses pacientes a administracao de um aine pode causar uma reducao dose-dependente na formacao de prostaglandinas e precipitar uma descompensacao renal franca. pacientes de maior risco sao os que possuem funcao renal prejudicada, insuficiencia cardiaca, disfuncao hepatica, os usuarios de diureticos e os idosos. a interrupcao do tratamento com aines e caracteristicamente seguida de retorno ao estado pre-tratamento. uma vez que os metabolitos do acido mefenamico sao eliminados principalmente pelos rins, a droga nao deve ser administrada a pacientes com funcao renal significativamente alterada. o acido mefenamico, como outros aines, pode inibir a agregacao plaquetaria e pode prolongar o tempo de protrombina em pacientes sob tratamento com varfarina. pode haver elevacoes limitrofes em um ou mais testes hepaticos de alguns pacientes, as quais podem progredir, manter-se inalteradas ou transitorias com a continuacao do tratamento. pacientes com sintomas e/ou sinais sugestivos de disfuncao hepatica ou teste hepatico alterado, devem ser avaliados para detectar o aparecimento de reacoes hepaticas mais severas, quando em tratamento com ponstan. caso as anormalidades hepaticas persistam, piorem ou surjam sinais ou sintomas clinicos de doenca hepatica, ou ainda, se ocorrerem manifestacoes sistemicas, ponstan deve ser descontinuado. uso na gravidez e lactacao: como nao existem estudos bem controlados em gestantes, recomenda-se utilizar o medicamento apenas em caso de necessidade; entretanto, devido aos efeitos dessa classe de medicamentos sobre o sistema cardiovascular fetal, nao e recomendavel utilizar a medicacao na gestacao. quantidades minimas de ponstan podem estar presentes no leite materno e passar para o lactente; assim sendo, ponstan nao deve ser utilizado por mulheres em fase de amamentacao. ratas que receberam ate 10 vezes a dose para seres humanos mostraram diminuicao da fertilidade, atraso no parto e taxa de sobrevivencia ao desmame reduzida. nao foram observadas anormalidades fetais neste estudo e nem em outro no qual utilizou-se caes recebendo 10 vezes a dose para humanos. uso geriatrico: tem sido relatada diminuicao da funcao renal, algumas vezes levando a insuficiencia renal aguda. - interacoes medicamentosas: o acido mefenamico desloca a varfarina dos sitios de ligacao a proteina, e pode aumentar a resposta a anticoagulantes orais. portanto, a administracao concomitante de ponstan com drogas anticoagulantes requer monitorizacao frequente do tempo de protrombina.

Composição

Cada comprimido contem: acido mefenamico 500 mg.

Apresentação

Comprimidos em blister de 24.

Laboratório

Aché Laboratórios Farmacêuticos S.A.

SAC: 0800 701 6900

publicidade