Pantocal

Bula do remédio Pantocal. Classe terapêutica dos Antiulcerosos. Princípios Ativos Pantoprazol. Venda sob prescrição médica.

Bula de Pantocal

Indicação

Para que serve Pantocal?

Úlcera duodenal. Úlcera gástrica. Esofagite de refluxo moderada e severa.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

PANTOCAL não deve ser usado em casos de hipersensibilidade conhecida ao componente da fórmula ou em casos de insuficiência hepática.

Posologia

Como usar Pantocal?

Salvo critério médico diferente, recomenda-se 1 comprimido de PANTOCAL ao dia nos casos de úlcera gástrica, úlcera duodenal ou esofagite de refluxo. Não é necessária nenhuma adaptação posológica em indivíduos idosos. Em casos isolados, a dose diária pode ser aumentada para 2 comprimidos, particularmente nos casos de pacientes refratários a outros medicamentos. Em pacientes idosos ou com insuficiência renal, a dose diária de 40 mg (1 comprimido) não deve ser ultrapassada. Os comprimidos não devem ser mastigados ou quebrados, mas ingeridos íntegros com auxílio de líquido, antes ou durante o café da manhã. Duração do tratamento: Na maioria dos pacientes, o alívio dos sintomas é rápido. A cicatrização da úlcera duodenal ocorre, na maioria dos casos, dentro de 2 semanas. Na úlcera gástrica e na esofagite de refluxo, um tratamento de 4 semanas é, em geral, suficiente. Em casos isolados, a duração do tratamento pode ser prolongada para 4 semanas (úlcera duodenal) e 8 semanas (úlcera gástrica e esofagite de refluxo). Não se recomendam tratamentos por períodos superiores a 8 semanas, uma vez que a experiência clínica em estudos a longo prazo ainda é limitada.

publicidade

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

O tratamento com PANTOCAL pode ocasionalmente levar ao aparecimento de dores de cabeça ou diarréia. Náuseas, queixas abdominais, flatulência, erupções cutâneas, prurido e vertigem foram raramente observados. Em casos isolados, houve relato de formação de edema, febre, depressão e distúrbios visuais (turvação visual).

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Antes de se iniciar o tratamento é necessário que se exclua a possibilidade de úlcera gástrica maligna e doenças malignas do esôfago, já que o tratamento com PANTOCAL pode aliviar os sintomas e causar um atraso no seu diagnóstico. O diagnóstico de esofagite de refluxo deve ser confirmado por endoscopia. O uso durante a gravidez ou lactação deve ser restrito, já que até o presente não se têm estudos em seres humanos nestas condições. Em experimentos com animais de laboratório não foram observados efeitos teratogênicos. Observou-se excreção de pequena quantidade de pantoprazol no leite materno de animais tratados. Até o presente, não se tem experiência com o tratamento de crianças. PANTOCAL não está indicado em distúrbios gastrintestinais leves como dispepsia nervosa.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Não se conhecem sintomas de superdosagem no homem. Doses de 240 mg via endovenosa foram bem toleradas. Na eventualidade da ingestão acidental de doses muito acima das preconizadas, recomenda-se adotar as medidas habituais de controle de funções vitais.

Composição

Cada comprimido contém: Pantoprazol 40 mg; Excipiente q.s.p. 1 comprimido. Adicionado na forma de pantoprazol sódico sesquiidratado (45,1 mg).

Apresentação

Embalagens com 7 e 14 comprimidos gastrorresistentes.

Interações Medicamentosas

PANTOCAL pode alterar a absorção de medicamentos, como por exemplo o cetoconazol, cuja absorção é pH-dependente (inclusive a dos ingeridos anteriormente ao PANTOCAL). PANTOCAL é metabolizado no fígado através do sistema enzimático do citocromo P450; não deve ser excluída uma eventual interação medicamentosa com outras substâncias metabolizadas através do mesmo sistema, apesar de que não se observou interações clinicamente significativas na administração simultânea com alguns medicamentos desta natureza como diazepam, warfarina, teofilina, fenitoína, digoxina e anticoncepcionais orais. Não se detectou interação medicamentosa na administração concomitante de PANTOCAL e antiácidos.

Venda

Venda sob prescrição médica.

Introdução

Pantocal
Pantoprazol
Comprimidos 40 mg

Informações ao Paciente

Conserve PANTOCAL na embalagem original e ao abrigo do calor. Prazo de validade: 36 meses, a partir da data de fabricação (ver cartucho). Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Ação esperada do medicamento: Redução da acidez estomacal. Na maioria dos pacientes o alívio dos sintomas é rápido. Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez ou lactação na vigência do tratamento. O uso de PANTOCAL em mulheres nestas condições deve ser feito exclusivamente sob recomendação médica. Idosos: PANTOCAL pode ser utilizado por pessoas com mais de 65 anos, porém, a dose habitual de 1 comprimido ao dia não deve ser ultrapassada. Cuidados de administração: Os comprimidos não devem ser mastigados nem quebrados, mas ingeridos íntegros com auxílio de líquido. PANTOCAL deve ser administrado antes ou durante o café da manhã. Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Informe ao seu médico caso apareçam reações desagradáveis como: dor de cabeça, diarréia, náuseas, desconforto abdominal, gases, erupções na pele, coceira, tonturas, inchaço, febre, depressão ou distúrbios visuais. Informe ao seu médico caso esteja fazendo uso de outros medicamentos. PANTOCAL não deve ser usado por indivíduos que apresentam insuficiência hepática ou hipersensibilidade conhecida ao componente da fórmula. Antes de se iniciar o tratamento é necessário que se exclua a possibilidade de úlcera gástrica maligna e doenças malignas do esôfago, já que o tratamento com PANTOCAL pode aliviar os sintomas e causar um atraso no seu diagnóstico. O diagnóstico de esofagite de refluxo deve ser confirmado por endoscopia.

Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

Não tome remédio sem o conhecimento do seu médico. Pode ser perigoso para a sua saúde.

Informação Técnica

PANTOCAL (pantoprazol) é um inibidor da bomba de prótons, isto é, promove inibição específica e dose-dependente da enzima ATPase gástrica, que é responsável pela secreção ácida das células parietais do estômago. Sua substância ativa é um benzimidazol substituído que, após absorção, se acumula no compartimento ácido das células parietais. É então convertido à sua forma ativa, uma sulfenamida cíclica, que se liga à ATPase K +/H +, inibindo, assim, a bomba protônica e causando uma potente e prolongada supressão da secreção ácida basal e estimulada. Como o pantoprazol não age a nível dos receptores (de histamina, de acetilcolina ou de gastrina), é capaz de inibir a secreção ácida gástrica independentemente da natureza do estímulo. A especial seletividade do pantoprazol consiste no fato de que somente exerce plenamente sua ação em meio ácido (pH < 3), mantendo-se praticamente inativo em valores de pH mais elevados. Conseqüentemente, seu completo efeito farmacológico e terapêutico somente pode ser alcançado nas células parietais ácido-secretoras. Por meio de um mecanismo de feedback este efeito diminui à medida que a secreção ácida é inibida. Depois da dissolução do comprimido gastrorresistente no intestino, o pantoprazol é absorvido rápida e completamente. A biodisponibilidade absoluta de 77% permanece inalterada depois da administração repetida. O pantoprazol apresenta uma farmacocinética linear. É amplamente distribuído no corpo e é extensivamente metabolizado no fígado; subseqüentemente, os produtos metabólicos são excretados predominantemente pela urina. O pantoprazol não afeta o sistema do citocromo P450 do fígado humano. A excreção através da urina e fezes é completa.

Atenção

Este produto é um novo medicamento e, embora as pesquisas realizadas tenham indicado eficácia e segurança quando corretamente indicado, podem ocorrer reações adversas imprevisíveis ainda não descritas ou conhecidas. Em caso de suspeita de reação adversa, o médico responsável deve ser notificado.

Laboratório

Billi Farmacêutica Ltda.

Tel: 55 (011)5090-8705

publicidade