Mexitil

publicidade

Bula do remédio Mexitil. Classe terapêutica dos Antiarritmicos. Princípios Ativos Mexitil.

Indicação

Para que serve Mexitil?

Tratamento de arritmias ventriculares com sintomatologia grave e(ou) com risco de vida iminente.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Mexitil não deve ser administrado durante os três primeiros meses que se seguem a um infarto do miocárdio, nem também em caso de função cardíaca reduzida (volume de ejeção ventricular esquerda inferior a 35%), exceto em pacientes com arritmias potencialmente mortais. Mexitil está contra-indicado em caso de choque cardiogênico ou bloqueio atrioventricular de 2 ou 3 graus sem marca-passo instalado. Mexitil não deve ser administrado em caso de hipersensibilidade conhecida à mexiletina ou a anestésicos locais (p. ex.: lidocaína, procaina).

Posologia

Como usar Mexitil?

Recomenda-se uma dose inicial de saturação de 400 mg, seguida por uma dose de 200 mg, 2 a 6 horas após a dose inicial. Continuar com 200 mg a cada 6 ou 8 horas, a critério médico. Para o tratamento de manutenção são suficientes, em geral, 100 a 300 mg, 3 vezes ao dia, e a dose máxima recomendada é de 1200 mg/dia. Recomenda-se ingerir Mexitil após as refeições.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Em alguns casos, sobretudo no início do tratamento, conforme a dose e a sensibilidade individual, podem ocorrer náuseas, vômitos, distúrbios digestivos, sensação de sabor desagradável, dores articulares, sonolência, disartrias, diplopias e outros distúrbios da visão, tontura, tremores, parestesia, ataxia, convulsões, confusão mental, hipotensão, bradicardia sinusal, fibrilação auricular, palpitações e, raramente, aumento da atividade ectópica ventricular. Se a dose oral for administrada com quantidade insuficiente de líquido, pode ocorrer, excepcionalmente, ulceração esofágica. Em casos raros podem ocorrer transtornos hepáticos reversíveis (p. ex.: aumento das transaminases). Foram relatados alguns casos de erupção cutânea. Em casos raros foram relatados: síndrome de Stevens-Johnson, fibrose pulmonar e leucopenia. Como ocorre com outros antiarrítmicos, Mexitil pode potencializar as arritmias. Mexitil pode alterar a capacidade de reação, prejudicando a condução de veículos ou o manuseio de máquinas, sendo este efeito ainda maior com a ingestão simultânea de álcool. - Interações medicamentosas: a associação de Mexitil com outros antiarrítmicos (propranolol, amiodarona ou quinidina) pode potencializar o efeito sobre o sistema de condução e bombeamento do coração. Todos os medicamentos que influenciam o peristaltismo podem alterar a absorção de Mexitil. Os opiáceos podem retardar a absorção de Mexitil. Como Mexitil é metabolizado no fígado, as substâncias que afetam a função hepática podem alterar a concentração de Mexitil. No tratamento simultâneo com substâncias que provoquem uma inibição de enzimas hepáticas, pode ser necessária uma redução da dose de Mexitil. Na associação com substâncias indutoras do metabolismo enzimático, tais como, a rifampicina, fenitoína e o fenobarbital, torna-se necessário aumentar a dose de Mexitil, devido à degradação aumentada. Mexitil aumenta a concentração plasmática da teofilina e cafeína.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Na presença de disfunção do nódulo sinusal, transtornos de condução, bradicardia, hipotensão ou insuficiência cardíaca, deve-se submeter o paciente à monitorização minuciosa e eventualmente reduzir a dose. Em pacientes com cirrose hepática descompensada e insuficiência renal grave pode ocorrer retardo da degradação e eliminação do produto, necessitando de um ajuste individual da dosagem. Os pacientes com alterações da função hepática devem ser submetidos à monitorização minuciosa. Nos pacientes com infarto do miocárdio, observou-se uma absorção retardada de Mexitil. - Gravidez e lactação: na gravidez, Mexitil deve ser administrado somente quando as vantagens previstas justifiquem o risco potencial. Mexitil é excretado no leite materno em concentrações que podem causar algum efeito no lactente. Por consequência, deve-se suspender o aleitamento materno quando for imprescindível a administração de Mexitil a mãe.

Composição

Cada cápsula contém 100 ou 200 mg de cloridratode mexiletina.

Apresentação

Embalagens com 20 (100 mg) e 30 cápsulas (200 mg).

Laboratório

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda.

SAC 0800-7016633

publicidade