Mabthera

Bula de Mabthera

Bula do remédio Mabthera. Classe terapêutica dos Antineoplásicos. Princípios Ativos Rituximab. Venda sob prescrição médica.

publicidade

Indicação

Para quê serve Mabthera?

Mabthera é indicado para o tratamento dos linfomas não-Hodgkin indolentes de células B que não tenham respondido ou quando a doença tenha progredido durante ou após pelo menos um
tratamento padrão contendo agente alquilante.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Mabthera é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade conhecida a qualquer componente do produto ou a proteínas murinas.

Posologia

Como usar Mabthera?

A dosagem recomendada de Mabthera usado como monoterapia para pacientes adultos é de 375 mg/m2 de área corpórea. Mabthera é administrado como infusão intravenosa, uma vez por semana, por quatro semanas, sendo apropriado para administração em pacientes ambulatoriais.

Uma pré-medicação composta de um analgésico (p.ex. paracetamol) e de uma droga anti-histamínica poderá ser administrada 30-60 minutos antes de cada infusão de Mabthera.

Primeira infusão
A solução preparada de Mabthera deverá ser administrada por infusão intravenosa através de acesso exclusivo. A taxa inicial recomendada para infusão é de 50 mg/h; posteriormente esta dose
poderá ser aumentada em 50 mg/h a cada 30 minutos até o máximo de 400 mg/h. Caso seja desenvolvida hipersensibilidade ou eventos relacionados a infusão, esta deverá ser
temporariamente diminuída ou interrompida. Após a melhora dos sintomas, a infusão poderá ser
reiniciada com a metade da taxa anterior ao evento.

Infusões subseqüentes
As infusões subseqüentes de Mabthera poderão ser iniciadas a uma taxa de 100 mg/h com incrementos de 100 mg/h a cada 30 minutos até o máximo de 400 mg/h.

Uso pediátrico
A segurança e eficácia de Mabthera em crianças não foi estabelecida.

Instruções para manuseio e disponibilidade
Mabthera é um líquido claro e incolor, fornecido em frascos estéreis, isento de conservantes, em dose única não pirogênica.

Retirar a quantidade necessária de Mabthera sob condições ideais de assepsia e diluir para uma concentração calculada de rituximab de 1-4 mg/ml em um frasco contendo solução salina a 0,9%, não-pirogênica ou solução de dextrose a 5 %. Para misturar a solução, inverter o frasco vagarosamente, evitando a formação de espuma. Visto que o produto não contém preservativos, antimicrobianos ou agentes bacteriostáticos, deverão ser observadas técnicas de assepsia. As medicações parenterais deverão ser inspecionadas visualmente quanto a existência de material particulado ou descoloração antes da administração.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Hipotensão transitória e broncoespasmo ocorreram associados a administração de Mabthera como componentes de um conjunto de sintomas relacionados a infusão. Os pacientes com doença pulmonar preexistente poderão apresentar um risco maior para o desenvolvimento de broncoespasmo. Normalmente estes sintomas são reversíveis com a interrupção temporária da administração de Mabthera com a administração de um analgésico, um anti-histamínico e, ocasionalmente uma solução salina intravenosa ou um broncodilatador. A administração da infusão poderá ser concluída quando diminuírem os sintomas.

Visto que a hipotensão transitória poderá ocorrer durante a infusão de Mabthera, deverá ser considerada a suspensão da administração de medicação anti-hipertensiva 12 horas antes e durante a infusão de Mabthera. Os pacientes com história de doença cardíaca (p.ex. angina pectoris, arritmias cardíacas ou insuficiência cardíaca) deverão ser submetidos a monitoramento cuidadoso.

Reações anafiláticas e outras reações de hipersensibilidade poderão ocorrer nos pacientes após a administração de proteínas por via intravenosa. As medicações para o tratamento de reações de hipersensibilidade, p.ex. epinefrina, anti-histamínicos e corticosteróides deverão estar disponíveis para uso imediato na eventualidade de uma
reação alérgica durante a administração de Mabthera.

Deverão ser adotadas as devidas precauções para aqueles pacientes com contagem de neutrófilos < 1,5 x 103/mm3 e/ou contagens de plaquetas < 75 x 103 /mm3, considerando que a experiência clínica é limitada neste tipo de paciente.

Deverá ser considerada a necessidade de se realizar regularmente contagem de células sangüíneas, incluindo plaquetas, durante a terapia com Mabthera.

A solução preparada para infusão não deverá ser administrada como injeção intravenosa ou em infusão em bolo.

Efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e/ou operar máquinas
Não é conhecido se rituximab possui efeitos sobre a habilidade de dirigir veículos e/ou operar máquinas, porém a atividade farmacológica e os eventos adversos reportados até o momento não indicam que estes eventos devam ser esperados.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Não existe experiência disponível quanto a superdosagem obtida através de estudos clínicos em humanos. Todavia, não foram testadas doses únicas maiores que 500 mg/m2 de superfície corpórea.

ESTE PRODUTO É UM NOVO MEDICAMENTO E, EMBORA AS PESQUISAS REALIZADAS TENHAM INDICADO EFICÁCIA E SEGURANÇA QUANDO CORRETAMENTE INDICADO, PODEM OCORRER REAÇÕES ADVERSAS
IMPREVISÍVEIS, AINDA NÃO DESCRITAS OU CONHECIDAS. EM CASO DE SUSPEITA DE REAÇÃO ADVERSA, O MÉDICO RESPONSÁVEL DEVE SER
NOTIFICADO.

USO RESTRITO A HOSPITAIS.

Composição

Ingrediente ativo: Rituximab
Excipientes: citrato de sódio, polissorbato 80, cloreto de sódio, água para injeção.

Apresentação

Solução injetável:
cx. c/ 2 frascos de 100 mg/10 ml
cx. c/ 1 frasco de 500 mg/ 50 ml
USO ADULTO

Interações Medicamentosas

Atualmente não existem dados disponíveis sobre as interações medicamentosas com Mabthera. Os pacientes titulados com anticorpos anti-camundongo humano (HAMA) ou com anticorpo anti-quiméricos humanos (HACA) poderão desenvolver reações alérgicas ou hipersensibilidades quando tratados com outras terapias ou diagnósticos usando anticorpos monoclonais.

Venda

Venda sob prescrição médica.

Introdução

MabThera
Rituximab
ANTINEOPLÁSICO

Gravidez e Lactação

Não foram realizados estudos toxicológicos na reprodução animal com rituximab. Não é conhecido se Mabthera pode provocar perigos ao feto quando administrado a gestantes ou quanto aos seus efeitos sobre a capacidade de reprodução. Entretanto, em função da capacidade das imunoglobulinas IgG em atravessar a barreira placentária, Mabthera não deverá ser administrado para gestantes, a não ser que os eventuais benefícios superem os riscos potenciais.

Mulheres em idade fértil deverão usar métodos contraceptivos eficazes durante o tratamento e até 12 meses após o uso de Mabthera.

Identificação do Produto

Nome genérico
Rituximab

Uso durante a Lactação

Não é conhecido se o rituximab é excretado pelo leite materno. Porém, considerando que as IgG maternas estão presentes no leite materno, Mabthera não deverá ser administrado para mulheres durante o período de lactação.

Características Químicas e Farmacológicas

Rituximab é um anticorpo monoclonal quimérico camundongo/humano que se liga especificamente ao antígeno transmembrana CD20. Este antígeno está localizado nos linfócitos pré-B e linfócitos B maduros, mas não em células progenitoras, células pró-B, células plasmáticas normais ou outros tecidos normais. O antígeno encontra-se presente em mais de 95% de todas as células B dos linfomas não-Hodgkin (LNH). Após a ligação do anticorpo, o antígeno CD20 não é introduzido na célula nem liberado da membrana celular para o ambiente. O antígeno CD20 não circula no plasma como antígeno livre e, portanto, não compete com a ligação de anticorpos.

Rituximab se liga ao antígeno CD20 dos linfócitos B e inicia reações imunológicas que mediarão a lise da célula B. Os mecanismos possíveis para a lise celular inclui citoxicidade complemento-dependente (CDC) e citoxicidade celular anticorpo-dependente (ADCC).

Finalmente, os estudos in vitro demonstraram que o rituximab sensibiliza linhagens celulares do linfoma B humano, resistentes a drogas quimioterápicas para os efeitos citotóxicos de alguns desses agentes quimioterapêuticos.

Nos pacientes tratados tanto com 125, 250 ou 375 mg/m2 de área corpórea administrados através de infusão intravenosa, uma vez por semana, por quatro semanas, as concentrações de anticorpo sérico aumentaram de acordo com o aumento da dose. Nos pacientes que receberam a dose de 375 mg/m2, a meia vida sérica média de rituximab foi de 68,1 h, com C máx de 238,7 mg/ml e clearance plasmático médio de 0,0459 l/h após a primeira infusão; após a quarta infusão os valores médios da meia vida sérica, Cmáx. e clearance plasmático foram de 189,9 h, 480,7 mg/ml e 0,0145 l/h, respectivamente.

Adicionalmente, as concentrações séricas de rituximab foram estatisticamente mais significativas nos pacientes responsivos. Caracteristicamente, o rituximab era detectável durante 3 a 6 meses.

A contagem média de células B periféricas diminuiu significantemente abaixo do normal após a primeira dose começando sua recuperação após 6 meses, retornando ao normal entre 9 e 12 meses após a conclusão da terapia.

Reações Adversas/colaterais e Alterações de Exames Laboratoriais

As seguintes reações adversas foram observadas em estudos clínicos. A maioria dos pacientes foram submetidos previamente a terapias múltiplas e possuíam um mau prognóstico. Os eventos adversos aqui mencionados poderão não estar diretamente relacionados ao tratamento com Mabthera.

Eventos adversos relacionados a infusão
O conjunto de sintomas relacionados a infusão é composto principalmente por febre e calafrios/tremores ocorrendo principalmente durante a primeira infusão de Mabthera, normalmente dentro das primeiras 2 horas. Outros sintomas freqüentemente relacionados a infusão incluem náusea, urticária/rubor facial, fadiga, cefaléia, prurido, broncoespasmo/dispnéia, sensação de inchaço na língua ou na garganta (angioedema), rinite, vômitos, hipotensão transitória, eritema, arritmia e dor tumoral. Com menor freqüência, os pacientes experimentaram uma exacerbação de condições cardíacas preexistentes tais como, angina pectoris e insuficiência cardíaca congestiva. A incidência de eventos relacionados a infusão diminui substancialmente nas infusões posteriores.

Eventos adversos hematológicos
Anormalidades hematológicas ocorrem em uma minoria de pacientes, sendo normalmente leves e reversíveis.

Trombocitopenia e neutropenia severas ocorreram individualmente em 1,8 % dos pacientes e anemia severa ocorreu em 1,4 % dos pacientes.

Outros eventos adversos
Eventos pulmonares, incluindo broncoconstrição, foram relatados com a terapia de Mabthera, sendo que apenas 2% do total de pacientes receberam broncodilatadores. Foi observado um único caso de bronquiolite obliterante.

Apesar de Mabthera induzir a depleção das células B e poder estar associado a diminuição de imunoglobulinas séricas, a incidência de infecções não parece ser maior que a esperada para este grupo de pacientes. Infecções mais sérias foram observadas com freqüência consideravelmente menor, quando comparadas a quimioterapia convencional. Durante o tratamento e até 1 ano após a terapia, aproximadamente 17% e 12%, respectivamente, dos pacientes desenvolveram infecções. Estas infecções eram usualmente leves, comuns e não oportunistas.

A monoterapia com Mabthera não está associada à toxicidade hepática ou renal clinicamente significante, apesar de terem sido observados aumentos transitórios e leves dos parâmetros da função hepática.

Os eventos adversos ocasionais que ocorreram em ³ 1% dos pacientes estão relacionados a seguir.

Abrangendo todo o organismo: Dor abdominal, dor em região dorsal, dor torácica, dor cervical, mal-estar, alargamento abdominal, dor no local da infusão.

Sistema cardiovascular: Hipertensão, bradicardia, taquicardia, hipotensão ortostática, vaso dilatação.

Trato gastrointestinal: Diarréia, dispepsia, anorexia.

Sangue e sistema linfático: Leucopenia, linfoadenopatia.

Distúrbios metabólicos e nutricionais: hiperglicemia, edema periférico, aumento de HDL, edema, perda de peso, edema facial, hipocalcemia, hiperuricemia.

Sistema músculo-esquelético: Artralgia, mialgia, dores , dor óssea, hipertonia.

Sistema nervoso: Tontura, ansiedade, depressão, parestesia, hiperestesia, agitação, insônia, nervosismo, sonolência, neurite.

Trato respiratório: Aumento da tosse, asma, laringismo.

Pele e extremidades: Sudorese noturna, transpiração, ressecamento da pele.

Sentidos especiais: Distúrbios lacrimais, dor de ouvido, perda do paladar.

Sistema urogenital: Disúria, hematúria.

Os eventos adversos adicionais que ocorreram em < 1% dos pacientes estão relacionados a seguir.

Sistema sangüíneo e linfático: Distúrbio da coagulação.

Distúrbios metabólicos e nutricionais: Aumento da creatinina fosfoquinase, hipercalcemia.

Sistema músculo-esquelético: Fraturas espontâneas dos ossos.

Pele e extremidades: Recorrência de tumores preexistentes da pele.

Armazenamento e Prazo de Validade

Armazenar os frascos entre 2-8 oC . Proteger os frascos não diluídos da incidência direta da luz do sol.

As soluções preparadas para infusão de Mabthera são estáveis durante 12 horas à temperatura ambiente. Caso a solução preparada não seja usada imediatamente a mesma poderá ser armazenada durante 24 horas em um refrigerador (entre 2 e 8 o C) sem afetar a estabilidade à temperatura ambiente. Como Mabthera não contém preservativos antimicrobianos, é fundamental garantir que a solução preparada permaneça estéril.

Incompatibilidades

Não foram observadas incompatibilidades entre mabthera e os frascos ou equipos para infusão de cloreto de polivinil ou polietileno.

Laboratório

Roche Químicos e Farmacêuticos S.A.

SAC: 0800 7720 289

publicidade