Loralerg

Bula de Loralerg

Bula do remédio Loralerg. Classe terapêutica dos Anti-histamínicos. Princípios Ativos Loratadina.

publicidade

Indicação

Para quê serve Loralerg?

LORALERG está indicado no tratamento sintomático de manifestações associadas a rinite alérgica tais como: coriza, espirros e prurido nasal, ardor e prurido ocular. É indicado também para o tratamento sintomático da urticária crônica e outras afecções dermatológicas.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Pacientes que apresentem hipersensibilidade ou idiossincrasia à droga.

Posologia

Como usar Loralerg?

Adultos e crianças acima de 12 anos: 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia. Crianças de 2 a 12 anos: Peso corporal abaixo de 30 kg: 5 ml (5 mg), uma vez ao dia. Peso corporal acima de 30 kg: 10 ml ou 1 comprimido (10 mg), uma vez ao dia.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Loratadina não demonstrou em estudos clínicos controlados atividade sedativa ou anticolinérgica significativa. Foram relatados raros casos de fadiga, sedação, cefaléia e secura na boca, sendo sua freqüência estatisticamente igual à do placebo. Presença de alopecia foi raramente relatada.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Gravidez e lactação: Não há dados suficientes para assegurar o uso da loratadina na gravidez e lactação. O produto, portanto, não deve ser administrado a mulheres grávidas ou durante o período de lactação, a menos que o médico considere que as vantagens superem eventuais riscos. As concentrações ativas no leite materno são semelhantes às do plasma. Após 48 horas, somente 0,029% da dose administrada foi excretado no leite materno. Em estudos animais, a loratadina atravessa a barreira placentária. Pacientes com hepatopatia grave devem ter a dose reduzida pois podem apresentar uma diminuição do clearance da loratadina. Recomenda-se dose inicial de 5 mg ao dia ou 10 mg em dias alternados. A segurança e eficácia da loratadina não estão estabelecidas em crianças abaixo de 2 anos. Interações farmacológicas em testes de laboratório: Deve-se suspender o tratamento aproximadamente 48 horas antes da realização de qualquer prova cutânea, pois a loratadina pode impedir ou diminuir as reações que seriam positivas aos indicadores de reatividade dérmica.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Não há registro até o momento de ingestão de superdose de loratadina. Os sinais e sintomas relacionados com dosagem excessiva incluem desde depressão do sistema nervoso central (sedação, apnéia, redução do estado de alerta, colapso cardiovascular), excitação (insônia, alucinações, tremores ou convulsões) até parada respiratória. O tratamento que deverá ser instituído é sintomático e adjuvante. Deve-se induzir o vômito (aconselha-se administração de xarope de ipecacuanha) mesmo que já tenha ocorrido êmese espontânea. O uso de carvão ativado e lavagem gástrica pode ser útil. A loratadina não é significativamente depurada por hemodiálise.

FARMASA Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

Composição

LORALERG Comprimidos: Cada comprimido contém 10 mg de loratadina. LORALERG Xarope: Cada 6 ml contêm 5 mg de loratadina.

Apresentação

LORALERG Comprimidos: Embalagens de 10 e 20 comprimidos. LORALERG Xarope: Frasco com 60 ml.

Interações Medicamentosas

Loratadina não potencializa os efeitos do álcool, como demonstrado através de avaliações do desempenho psicomotor.

Introdução

Loralerg
Loratadina

Informações Técnicas

LORALERG é um potente antagonista dos receptores H, da histamina. E prontamente absorvido no trato gastrintestinal, atingindo a concentração plasmática máxima em uma hora. A loratadina é metabolizada no fígado e tem como metabólíto ativo a descarboetoxiloratadina. Sua meia-vida é de 17 a 24 horas. A loratadina e seu metabólito ligam-se fortemente às proteínas plasmáticas. Estudos em animais demonstraram sua passagem transplacentária e para o leite materno. A insuficiência renal não altera de forma significativa a farmacocinética da droga, entretanto, nos casos de insuficiência hepática, há modificações nos parâmetros farmacocinéticos, exigindo, portanto, ajuste da dose. Pacientes idosos não necessitam de modificações na posologia.

Laboratório

Farmasa Laboratório Americano de Farmacoterapia S.A.

SAC: 0800-0114033

publicidade