Lansoprazol

Bula de Lansoprazol

Bula do remédio genérico Lansoprazol. Classe terapêutica dos Anti-ácidos e Antiulcerosos. Princípios Ativos Lansoprazol.

publicidade

Indicação

Para quê serve Lansoprazol?

Lansoprazol é indicado para cicatrização e alívio dos sintomas de esofagite de refluxo e de úlcera duodenal (do duodeno) e gástrica (do estômago) em tratamento de curto prazo.

Lansoprazol é indicado para para tratamento à longo prazo de pacientes hipersecretores (que produzem ácido em excesso), portadores ou não de Síndrome de Zollinger-Ellison; tratamento do Helicobacter pylori em associação com claritromicina e amoxicilina; tratamento de manutenção da cicatrização de esofagite de refluxo e de úlcera duodenal e gástrica.

Uso adulto - Uso oral

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

O lansoprazol atua como um inibidor da produção de ácido do estômago.

Os sinais de melhora nos sintomas podem ocorrer em um prazo variável de dias, após início do tratamento.

Seu médico é a pessoa adequada para dar-lhe maiores informações sobre o tratamento; siga sempre suas orientações.

Posologia

Como usar Lansoprazol?

  • Tratamento de esofagite de refluxo incluindo úlcera de Barrett: 30 mg ao dia, por quatro a oito semanas.
  • Tratamento de úlcera duodenal: 30 mg por dia, por duas a quatro semanas.
  • Tratamento de úlcera gástrica: 30 mg ao dia, por quatro a oito semanas.
  • Tratamento da Síndrome de Zollinger-Ellison: dose inicial de 60 mg ao dia, por três a seis dias. A dose deve ser então titulada ascendentemente, até conseguir-se um paciente assintomático com secreção ácida basal inferior a 10 mEq/h em pacientes com Síndrome de Zollinger-Ellison não gastrectomizados e em hipersecretores sem a síndrome. Em pacientes com a síndrome, previamente gastrectomizados, a secreção ácida basal recomendada como alvo é igual ou inferior a 5 mEq/h. Se o paciente requer 120 mg ou mais de lansoprazol ao dia, as doses devem ser divididas em duas tomadas equivalentes.

Uma vez que o alvo seja atingido, o paciente deve ser monitorado, para determinar se a dose deve ser ajustada para mais ou para menos.

Este medicamento não pode ser partido ou mastigado.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Este medicamento é contraindicado para pacientes com alergia ao lansoprazol ou a qualquer componente da fórmula.

Lansoprazol não deve ser administrado a crianças.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Informe ao seu médico o aparecimento de reações desagradáveis.

As reações desagradáveis mais frequentemente relatadas em estudos de curto prazo (até 8 semanas de duração) e consideradas possíveis ou prováveis de estarem relacionadas com o uso de lansoprazol, foram:

  • Diarreia, cefaleia (dor de cabeça), tontura, náusea e constipação.

0s seguintes efeitos colaterais foram relatadas em estudos com pacientes que receberam 30 mg de lansoprazol, durante 12 meses, para tratamento de manutenção de esofagite erosiva cicatrizada e úlceras gástricas e duodenais cicatrizadas:

  • Gerais: dor abdominal, cefaleia, síndrome gripal, ferimentos acidentais, dor, dor no peito, infecção;
  • Sistema digestivo: diarreia, anomalias gastrintestinais (pólipos), vômitos, alterações dentárias, náuseas, gastroenterites, alterações retais;
  • Sistema músculo-esquelético: artralgia (dores nas articulações).

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Lansoprazol na gravidez e lactação:informe seu médico a ocorrência de gravidez durante o tratamento ou após seu término. Informe ao médico se está amamentando.

Este medicamento não deve ser tomado por mulheres grávidas ou que estejam amamentando, a não ser que seu médico indique.

Atenção diabéticos: contém açúcar.

Não foram estabelecidas a segurança e a eficácia em crianças.

As taxas de cicatrização de úlceras em pacientes idosos são similares àquelas em um grupo mais jovem.

As taxas de incidência de efeitos colaterais e de anormalidades de testes laboratoriais são também similares àquelas vistas em pacientes mais jovens.

O regime de dose inicial não precisa ser alterado nos pacientes idosos, mas doses subsequentes maiores que 30 mg por dia não devem ser administradas, a menos que seja necessária uma supressão ácida gástrica adicional.

As cápsulas de Lanzoprazol devem ser ingeridas pela manhã, em jejum. No caso de duas tomadas diárias indicadas para doses de 120 mg ou mais, na Síndrome de Zollinger-Ellison, a segunda tomada também deve ser em jejum.

As cápsulas devem ser ingeridas inteiras; o paciente deve ser advertido para não abrir ou mastigar as cápsulas.

Pacientes com insuficiência renal/idosos/disfunção hepática: não é necessário ajuste de dose para pacientes com insuficiência renal.

Não é necessário ajuste da dose inicial para idosos e portadores de disfunção hepática leve a moderada.

Interações medicamentosas

Lansoprazol é metabolizado pelo sistema do citocromo P450. Estudos clínicos mostraram que lansoprazol não tem interações clínicas com varfarina, antipirina, indometacina, aspirina, ibuprofeno, fenitoína, prednisona, antiácidos a base de hidróxido de alumínio e magnésio, ou diazepam, em indivíduos sãos.

Quando lansoprazol é administrado concomitantemente com teofilina, um pequeno aumento (10%) na depuração de teofilina foi observado.

Devido à pequena magnitude e à direção desse efeito sobre a depuração da teofilina, dificilmente esta interação representará preocupação do ponto de vista clínico.

Mesmo assim alguns casos individuais podem necessitar titulação adicional da dose de teofilina, quando lansoprazol for iniciado ou interrompido, para assegurar níveis sanguíneos clinicamente efetivos.

Administração concomitante de lansoprazol e sucralfato retarda a absorção de lansoprazol e reduz sua biodisponibilidade em aproximadamente 30%. Portanto, lansoprazol deve ser tomado pelo menos 30 minutos antes do sucralfato.

Não há diferença estatisticamente significante no Cmax quando lansoprazol é administrado uma hora após preparados antiácidos com hidróxido de alumínio e magnésio.

Como lansoprazol causa inibição profunda e duradoura da secreção ácida gástrica, é teoricamente possível que possa interferir na absorção de fármacos em que o pH gástrico seja um importante determinante da biodisponibilidade (por exemplo: cetoconazol, ésteres da ampicilina, sais de ferro, digoxina).

Os antiácidos não interferem no efeito do lansoprazol.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Entre em contato com o seu médico.

Composição

Cada cápsula contém:

lansoprazol ............................................................................................................30 mg

excipientes q.s.p............................................................................................1 cápsula

Excipientes: talco purificado, amido de milho, dióxido de silício coloidal, amidoglicolato de sódio, hipromelose E5, fosfato de sódio dibásico, núcleo de sacarose, hidróxido de sódio, dispersão de poliacrilato 30%, citrato de trietila, polisorbato 80 e dióxido de titânio.

Apresentação:

Cápsula gelatinosa dura: embalagem com 7, 14, 28, 70, 140, 210, 280, 350, 560 e 840 cápsulas.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Lansoprazol deve ser armazenado em sua embalagem original, em temperatura ambiente (entre 15º e 30 ºC), em lugar seco, fresco e ao abrigo da luz (evite armazená-lo no banheiro).

Nestas condições o prazo de validade é de 24 meses a contar da data de fabricação.

Antes de usar observe o aspecto do medicamento.

Aspectos físicos

Lansoprazol apresenta-se em cápsula gelatinosa dura, de coloração vermelha e branca.

Laboratório

Prati, Donaduzzi & Cia Ltda.

Tel.: +55 45 2103-1166

Dizeres Legais

M.S. 1.2568.0211

Farmacêutico Responsável: Dr. Luiz Donaduzzi CRF-PR 5842

SAC: 0800 709 9333

publicidade