Infectrin

Bula de Infectrin

Bula do remédio Infectrin. Classe terapêutica dos Antibióticos. Princípios Ativos Trimetoprima(TMP) e Sulfametoxazol(SMZ).

publicidade

Indicação

Para quê serve Infectrin?

Infectrin é indicado para o tratamento de infecções respiratórias, urinárias, gastrintestinais e outros tipos de infecções.

Uso adulto e pediátrico acima de 12 anos - Uso oral

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Infectrin não deve ser utilizado por pacientes com afecções graves no fígado e no rim, com discrasias sanguíneas e quando não se pode determinar regularmente a concentração do medicamento no sangue.

Infectrin é contra-indicado aos pacientes com alergia a sulfas, a trimetoprima ou a quaisquer outros componentes da fórmula.

Infectrin não deve ser administrado a pacientes com sérias alterações no sangue nem a pacientes com deficiência da desidrogenase de glicose-6-fosfato (G6PD), a não ser em casos excepcionais e com doses mínimas.

Infectrin não deve ser administrado em combinação com dofetilida.

Infectrin é contra-indicado na faixa etária entre 0 a 6 semanas.

Posologia

Como usar Infectrin?

Recomenda-se tomar Infectrin após uma refeição, preferencialmente de manhã e a noite, e com quantidade suficiente de líquido.

A posologia deve ser orientada pelo seu médico de acordo com a doença.

Os comprimidos de Infectrin devem ser engolidos com bastante líquido.

  • Adultos e crianças com mais de 12 anos

Dose habitual: 2 comprimidos de Infectrin a cada a cada 12 horas.

Dose mínima e dose para tratamento prolongado (mais de 14 dias): 1 comprimido de Infectrin a cada 12 horas.

Dose máxima (casos especialmente graves): 3 comprimidos de Infectrin a cada 12 horas.

Nas infecções agudas, Infectrin deve ser administrado pelo menos durante 5 dias, ou até 2 dias após o desaparecimento dos sintomas.

Se após 7 dias de tratamento a melhora clínica não for evidente, o paciente deve consultar novamente o médico.

Informe-o se você for suspender o tratamento antes do prazo determinado.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Nas doses recomendadas, é geralmente bem tolerado.

Os efeitos colaterais mais comuns são os rashes cutâneos e os distúrbios gastrintestinais.

Entretanto, efeitos colaterais adicionais já foram descritos em frequência variável nos pacientes expostos a medicação.

As categorias utilizadas como padrões de frequência (número de efeitos relatados /número de pacientes expostos a medicação) são as seguintes:

  • Infecções e infestações:

Muito raro: Infecções fúngicas, como candidíase, têm sido relatadas.

  • Desordens hematológicas e do sistema linfático

Raro: A maioria das alterações hematológicas observadas têm sido discretas, assintomáticas e reversíveis com a suspensão da medicação. As alterações mais comumente observadas foram leucopenia, neutropenia e trombocitopenia.

Muito raro: Agranulocitose, anemia (megaloblástica, hemolítica/autoimune, aplástica), meta hemoglobinemia, pancitopenia ou púrpura.

  • Desordens do sistema imune

Muito raro: Assim como qualquer outra droga, reações alérgicas podem ocorrer em pacientes que são hipersensíveis aos componentes da medicação: p. ex. febre, edema angioneurótico, reações anafilactoides, reações de hipersensibilidade, e doença do soro. Infiltrados pulmonares, tais como ocorrem em alveolite alérgica ou eosinofílica, têm sido relatados. Elas podem se manifestar através de sintomas tais como tosse ou respiração ofegante. Se tais sintomas aparecerem ou, inexplicavelmente, piorarem, o paciente deve ser reavaliado e a descontinuação da terapia com Infectrin ser considerada. Casos de periarterite nodosa e miocardite alérgica têm sido relatados.

  • Desordens metabólicas e nutricionais

Muito raro: Altas doses de TMP, como as usadas em pacientes com pneumonia por Pneumocystis carinii, induzem um progressivo mas reversível aumento de concentração de potássio sérico em um número substancial de pacientes. Mesmo doses recomendadas de TMP podem causar hipercalemia quando administradas a pacientes com doenças subjacentes de metabolismo do potássio, insuficiência renal ou que estão recebendo drogas que induzem hipercalemia. Monitorização rigorosa do potássio sérico é requerida nestes pacientes. Casos de hiponatremia foram relatados. Casos de hipoglicemia em pacientes não diabéticos tratados com SMZ-TMP têm sido relatados, geralmente após poucos dias de tratamento. Pacientes com decréscimo da função renal, doença hepática, desnutrição ou recebendo altas doses de SMZ-TMP, estão sob risco particular.

  • Desordens psiquiátricas

Muito raro: Casos isolados de alucinações têm sido relatados.

  • Desordens do sistema nervoso

Muito raro: Neuropatia (incluindo neurite periférica e parestesia), uveíte. Meningite asséptica ou sintomas semelhantes à meningite, ataxia, convulsões, vertigem e tinido foram relatados.

  • Efeitos colaterais gastrintestinais

Comum: Náusea (com ou sem vômito).

Raro: Estomatite, glossite e diarreia.

Muito raro: Enterocolite pseudomembranosa. Casos de pancreatite aguda têm sido relatados, sendo que vários destes pacientes tinham doenças graves, incluindo pacientes portadores de AIDS (Síndrome da imunodeficiência adquirida).

  • Desordens hepato-biliares

Muito raro: Necrose hepática, hepatite, colestase, elevação de bilirrubinas e transaminases, e casos isolados de síndrome de desaparecimento do ducto biliar têm sido relatados.

  • Desordens cutâneas e subcutâneas

Comum: Múltiplas reações na pele têm sido relatadas, as quais são geralmente leves e rapidamente reversíveis após suspensão da medicação.

Muito raro: Como ocorre com muitas outras drogas contendo sulfonamidas, o uso de Infectrin tem, em raros casos, sido relacionado a fotossensibilidade, eritema multiforme, síndrome de Stevens-Johnson e necrólise epidérmica tóxica (síndrome de Lyell) e púrpura de Henoch-Schöenlein.

  • Desordens do sistema músculo-esquelético, do tecido conjuntivo e dos ossos

Muito raro: Raros casos de artralgia e mialgia e casos isolados de rabdomiólise foram relatados.

  • Desordens do sistema renal e urinário

Muito raro: Casos de comprometimento da função renal, nefrite intersticial, elevação do nitrogênio ureico sanguíneo, elevação da creatinina sérica e cristalúria foram reportados. Sulfonamidas, incluindo Infectrin pode induzir a aumento da diurese, particularmente em pacientes com edema de origem cardíaca.

Segurança de sulfametoxazol + trimetoprima em pacientes infectados pelo HIV. Os pacientes portadores de HIV têm o espectro de possíveis efeitos colaterais similar ao espectro dos pacientes não infectados. Entretanto, alguns efeitos colaterais podem ocorrer com frequência maior e com quadros clínicos diferenciados.

Essas diferenças relacionam-se aos seguintes sistemas:

  • Desordens hematológicas e do sistema linfático

Muito comum: Leucopenia, granulocitopenia e trombocitopenia.

  • Desordens metabólicas e nutricionais

Muito comum: Hiperpotassemia.

Incomum: Hiponatremia, hipoglicemia.

  • Desordens gastrintestinais

Muito comum: Anorexia, náusea com ou sem vômito, diarreia.

  • Desordens hepato-biliares

Elevação de transaminases.

  • Desordens cutâneas e subcutâneas

Muito comum: Rash maculopapular, geralmente com prurido.

  • Desordens em geral e condições do local de administração

Muito comum: Febre, geralmente associada com erupção maculopapular.

  • Interferência em exames de laboratório

O Infectrin especificamente o componente TMP, pode interferir com a dosagem do metotrexato. A presença de TMP e SMZ pode também interferir com a dosagem de creatinina.

Informe seu médico o aparecimento de efeitos colaterais. Em ordem de frequência encontramos efeitos gastrintestinais (náuseas, lesões na boca, diarreia), reações de pele e zumbidos nos ouvidos que desaparecem com a suspensão do tratamento. Infectrin pode aumentar a produção de urina em pacientes com edema de origem cardíaca.

Alterações no exame de sangue também podem surgir de forma leve e sem sintomas, desaparecendo com a suspensão do tratamento.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Cuidados especiais devem se ter com pacientes idosos e pacientes com problemas de rim e de fígado onde há maior probabilidade de ocorrer efeitos colaterais relacionados à dose ou à duração do tratamento.

Para diminuir os efeitos colaterais, recomenda-se que a duração do tratamento seja a menor possível para o paciente idoso.

Em caso de comprometimento renal, a dose deve ser ajustada.

Pacientes em uso prolongado devem fazer regularmente exames de sangue e urina.

O tratamento com Infectrin deve ser descontinuado imediatamente ao primeiro sinal de erupção cutânea ou qualquer outra reação adversa grave.

Infectrin deve ser administrado com cautela a pacientes com história de alergia e asma brônquica.

A não ser em casos excepcionais, Infectrin não deve ser administrado a pacientes com sérias alterações hematológicas.

Pacientes idosos ou com deficiência de ácido fólico ou portadores de insuficiência renal podem ter a dosagem de ácido fólico reduzida, porém reversível com a administração complementar de ácido folínico.

Como com todas as drogas contendo sulfonamidas, cuidado é desejável em pacientes com porfiria ou disfunção da tireoide.

Infectrin na gravidez e lactação: Infectrin atravessa a barreira placentária podendo interferir no metabolismo do ácido fólico devendo ser usado na gestação somente se o risco para o feto for justificado pelo benefício para a gestante.

Neste caso, é aconselhável que a mulher grávida receba doses de 5 a 10 mg de ácido fólico diariamente e que evite o uso de Infectrin nos últimos 3 meses de gravidez, pois há risco do recém-nascido desenvolver problemas neurológicos devido ao acúmulo de bilirrubina no cérebro (kernicterus).

Informe ao seu médico ou cirurgião-dentista se ocorrer gravidez ou se iniciar a amamentação durante o uso deste medicamento.

Informe seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Posologias especiais são recomendadas para certas doenças e condições clínicas do paciente. O seu médico saberá identificar essas situações e adotar o esquema adequado.

Interações Medicamentosas

As seguintes substâncias ou medicamentos sofrem interação com Infectrin e portanto seu médico deve ser informado caso esteja utilizando alguma delas:

  • medicamentos para a pressão ou coração: diuréticos, digoxina.
  • medicamentos para doenças do sistema nervoso: depressores do sistema nervoso central, como, por exemplo, os antidepressivos, fenitoína.
  • medicamentos que contêm em sua fórmula: amantadina, antidiabéticos orais, ciclosporina, indometacina, metotrexato, pirimetamina, varfarina.

Composição

Cada comprimido contém 80 mg de trimetoprima e 400 mg de sulfametoxazol.

Excipientes: hipromelose, amidoglicolato de sódio, estearato de magnésio.

Apresentação: Infectrin comprimido - embalagem com 20 comprimidos. ​

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Infectrin tem ação bactericida, ou seja, é capaz de matar a bactéria.

A ação medicamentosa de Infectrin começa logo após a primeira tomada, no entanto, os germes não são eliminados de imediato.

Por isso, mesmo que alguns sintomas como febre e dor, desapareçam, é necessário continuar a tomar o remédio pelo período que o médico estabeleceu.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Na superdosagem aguda podem ocorrer náusea, vômito, diarreia, cefaleia, vertigens, tontura, distúrbios mentais e visuais.

Na superdosagem crônica podem ocorrer alterações no sangue.

Nesses casos, o médico deve ser procurado o mais rapidamente possível para que o tratamento adequado seja instituído.

Recomenda-se a indução de vômito o mais rapidamente possível para eliminar a quantidade máxima possível do medicamento ingerido e procurar socorro médico.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Mantenha em temperatura ambiente (15°C a 30°C), protegido da luz e da umidade.

Aspecto físico: Os comprimidos de Infectrin são de cor branca, de formato redondo com bordas biseladas, lisas e brilhantes. A face superior apresenta ranhura central e gravação bilateral 40S. A face inferior mostra o emblema de Angeli.

Laboratório

Boehringer Ingelheim do Brasil Química e Farmacêutica Ltda.

SAC 0800-7016633

Dizeres Legais

MS 1.0367.0083
Farm. Resp.: Dímitra Apostolopoulou - CRF-SP 08828

publicidade