Dimorf

publicidade

Bula do remédio Dimorf. Classe terapêutica dos Analgésicos. Princípios Ativos Sulfato de Morfina.

Indicação

Para que serve Dimorf?

Dimorf está indicado para o alivio de dor aguda.

Via oral - Uso adulto

Posologia

Como usar Dimorf?

Adultos: 15 a 30 mg cada 4 horas ou segundo orientação médica.

Para a dor de pacientes terminais deve-se montar um esquema posológico a cada 4 horas até encontrar o nível desejado de analgesia.

Caso o paciente esteja recebendo outros analgésicos narcóticos, equilibrar as dosagens de modo a alcançar a analgesia necessária.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

O mais sério efeito colateral associado à Morfina, bem como a outros analgésicos narcóticos, é a depressão respiratória e em menor grau a depressão circulatória.

Além disso pode aparecer ainda:- fraqueza, cefaléia, insônia, palpitações, constipação, anorexia, boca seca, retenção urinária, prurido.

Geralmente os efeitos colaterais são revertidos por antagonistas narcóticos como a Naloxona.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Dimorf está contra-indicado em pacientes sensíveis à Morfina ou aos componentes da fórmula; com depressão ou insuficiência respiratória; asma brônquica aguda; arritmia cardíaca; aumento da pressão intracraniana e cérebro-espinhal; danos cerebrais; tumor cerebral; alcoolismo; delirium tremens; convulsões.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

O medicamento deve ser administrado sob supervisão médica, porque seu uso abusivo pode levar à dependência.

A Morfina pode causar dependência física ou psíquica e deverá ser usada com cuidado, em dosagens reduzidas, quando associada com outros analgésicos narcóticos gerais, fenotiazinas e outros tranquilizantes, sedativos hipnóticos, antidepressivos tricíclicos e outros depressores do SNC, inclusive álcool.

Não se observando estes cuidados, pode aparecer depressão respiratória, hipotensão, sedação profunda ou coma.

Dimorf deverá ser administrado com extremo cuidado em pacientes idosos ou debilitados, na presença de aumento da pressão intra-ocular/intracraniana e em pacientes com dano cerebral.

Miose pode obscurecer o curso da patologia intracraniana.

Deve-se ter atenção especial em pacientes com diminuição da reserva respiratória.

Pode aparecer convulsões em consequência de altas doses e pacientes com história de convulsão deverão ser observados cuidadosamente quando medicados com Morfina.

Pacientes ambulatoriais devem ser avisados de que a Morfina enfraquece as habilidades físicas e/ou mentais necessárias para certas atividades que requerem atenção e alerta.

Como outros narcóticos a Morfina pode causar hipotensão ortostática.

Dimorf na Gravidez: estudos, até o momento, não tem sido conclusivos para determinar se a Morfina causa dano fetal quando administrada durante a gravidez.

Portanto, seu uso deve ser feito em última circunstância, sob orientação médica, que pesará os benefícios esperados contra os riscos envolvidos.

Interações Medicamentosas

Os efeitos depressores da Morfina são potencializados pela administração concomitante ou pela presença de outros depressores do SNC como álcool, sedativos, anti-histamínicos ou drogas psicotrópicas (IMAO, fenotiazinas, butirofenonas e antidepressivos tricíclicos).

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

A superdosagem é caracterizada pela depressão respiratória com ou sem depressão concomitante do SNC.

Neste caso assegurar e manter as vias aéreas livres, auxiliar a ventilação com oxigênio e/ou sistema de ventilação assistida ou controlada.

O antagonista narcótico Naloxona é o antídoto específico.

Administrar 0,4 mg intravenosamente, simultaneamente com a respiração assistida.

A duração do efeito da Naloxona é consideravelmente menor que a da Morfina epidural ou intratecal e a administração deve ser repetida, se necessária.

Composição

Comprimidos com sulfato de morfina de 10 e 30 mg:

Sulfato de Morfina Pentaidratado (DCB 0856.03-7) equivalente a de Sulfato de Morfina 10 mg 30 mg

Excipiente: estearato de magnésio, polividona, celulose microcristalina, dióxido de silício, croscarmelose sódica, metabissulfito de sódio (corante amarelo FD&C N.º 5 e corante azul FD&C N.º 2 na apresentação de 30 mg)

Este produto contém o corante amarelo de TARTRAZINA (FDC Nº5) que pode causar reações de natureza alérgica, entre as quais asma brônquica, especialmente em pessoas alérgicas ao Ácido Acetilsalicílico.

Apresentação:

  • Embalagens com 5 e 20 blisteres com 10 comprimidos

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Conservar o produto em temperatura ambiente, entre 15 e 30°C, protegido da luz e umidade.

O prazo de validade do produto é de 24 meses após a data de fabricação, sendo que após esta data o produto pode não apresentar mais efeito terapêutico.

Número do lote - Data de fabricação - Vencimento: vide cartucho.

Laboratório

Cristália Produtos Químicos Farmacêuticos Ltda.

SAC: 0800 701 19 18

Dizeres Legais

Reg. MS n.º 1.0298.0097

Farm. Resp.: Dr. Joaquim A. dos Reis - CRF-SP N.º 5061

SAC: 0800 701 19 18

publicidade