Dexamex

Bula de Dexamex

Bula do remédio Dexamex. Princípios Ativos Dexametasona.

publicidade

Indicação

Para quê serve Dexamex?

Na corticoterapia: Alegorpatias, reumatopatias, dermatopatias, oftalmopatias, endocrinopatias, pneumopatias, hemopatias, doenças neoplásicas, estados edematosos, incluindo edema cerebral, doenças gastrintestinais, durante período crítico de doenças inflamatórias intestinais.

Outras moléstias: Meningite tuberculosa com bloqueio subaracnóide ou iminente, quando simultaneamente acompanhada a quimioterapia antituberculosa adequada. Triquinose com comprometimento neurológico ou miocárdico. Durante exacerbação ou como tratamento de manutenção em determinados casos: de lupo eritematoso disseminado. Cardite aguda reumática. Prova diagnóstico de hiperfunção adrenocortical. Antiinflamatório e antipruriginoso tópico utilizado no tratamento de muitas formas de dermatoses. Prurido anogenital inespecífico, dermatose alérgica, tais como as dermatites de contato, dermatite atópica (eczema alérgico), neurodermatites, pruridos com liquenificações, dermatite eczamatóide, eczema alimentar, eczema infantil e dermatite actínica, tratamento sintomático da dermatite seborréica, miliária, impetigo, queimadura devida aos raios solares, picadas de insetos e otite externa (não havendo perfuração da membrana do tímpano). Esta preparação é recomendada como um auxiliar ao tratamento e não como uma substituição à orientação convencional.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

DEXAMEX® é contraindicada para pacientes portadores de hipersensibilidade a qualquer dos componentes da fórmula, portadores de tuberculose pulmonar ou cutânea, infecções virais tópicas ou sistêmicas (vaccinia, varicela e herpes simples), insuficiência cardíaca, úlcera péptica, osteosporose e diabete mellitus.

Posologia

Como usar Dexamex?

Comprimidos e Elixir: as doses são variáveis e devem ser utilizadas pelo médico de acordo com a enfermidade, idade, quadro clínico geral e resposta do paciente; a dose inicial varia de 0,75 mg a 9 mg ao dia, devendo ser reduzida gradativamente.

Creme dermatológico: aplicação tópica 2 a 4 vezes ao dia; se necessário cobrir o local com um curativo poroso (gase).

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Distúrbio hidro-eletrolítico: retenção de sódio, retenção de líquido, insuficiência cardíaca congestiva em pacientes suscetíveis, perda de potássio, alcalose hipocalêmica e hipertensão.

Músculos-esqueléticos: fraqueza muscular, miopatia esteróide, perda de massa muscular, osteosporose, fraturas por compressão vertebral, necrose asséptica das cabeças femorais e umerais, fratura patológica dos ossos longos e ruptura de tendão.

Gastrintestinais: úlcera péptica com eventual perfuração e hemorragia subsequentes, perfuração de intestino grosso e delgado, particularmente em pacientes com doença intestinal inflamatória, pancreatite, distensão abdominal em pacientes com doença intestinal inflamatória, distensão abdominal e esofagite ulcerativa.

Dermatológicos: retardo na cicatrização de feridas, adelgaçamento e fragilidade da pele, petéquias e equimoses, eritema, hipersudorese, possível supressão das reações aos testes cutâneos, reações cutâneas tais como: dermatite alérgica, urticária e edema angioneurótico.

Neurológicos: convulsões, aumento de pressão intracraniana com papiledema (pseudomotor cerebral) geralmente após tratamento, vertigem, cefaléia, distúrbios psíquicos.

Endócrinos: irregularidades menstruais, desenvolvimento de estado cushingóide, supressão do crescimento da criança, ausência secundária da resposta adrenocortical e hipofisária, normalmente por ocasião de "stress", como nos traumas, na cirurgia ou nas enfermidades, diminuição da tolerância aos carboidratos, manifestação do diabete melito latente, aumento da necessidade de insulina ou de agentes hipoglicemiantes orais em diabéticos e hirsutismo.

Oftálmicos: catarata subcapsular posterior, aumento da pressão intra-ocular, glaucoma e exoftalmia.

Metabólitos: balanço nitrogenado negativo devido ao catabolismo protéico.

Cardiovasculares: ruptura do miocárdio após infarto recente do miocárdio.

Outros: hipersensibilidade, tromboembolia, aumento de peso, aumento de apetite, náusea, mal-estar e soluços. Normalmente o uso adequado do creme dermatológico não provoca reações adversas sistêmicas, exceto quando aplicado em áreas extensas e por longo tempo. As reações mais comuns com o uso do creme são erupções cutâneas do tipo alérgicas, ardência, prurido e hipopigmentação da pele.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Uso de DEXAMEX® em mulheres grávidas ainda não é seguro, portanto recomenda-se nestes casos, antes da prescrição, uma avaliação dos fatores riscos/benefícios.

As crianças de qualquer idade, em tratamento prolongado com corticosteróides, devem ser cuidadosamente observadas quanto ao seu crescimento e desenvolvimento. Por isso o uso em crianças menores de 6 anos só é aconselhável quando não houver outra alternativa.

Os corticosteróides aparecem no leite materno e podem além de outros efeitos indesejáveis inibir o crescimento, portanto mulheres na fase de aleitamento não devem fazer uso do medicamento.

A redução gradual da posologia é necessária para se evitar o aparecimento de insuficiência adrenocortical secundária, acarretando redução do nível de defesa contra infecções, que pode resultar da retirada muito rápida do medicamento.

Creme é de uso exclusivo dermatológico, não sendo indicado para uso oftálmico ou em otites externas de pacientes com perfuração timpânica.

Durante o uso do medicamento por via oral pode ser necessária a restrição dietética de sal e a suplementação de potássio e cálcio.

Deve ser administrado com cautela em pacientes portadores de colite ulcerativa inespecífica.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

São raros os relatos de toxicidade com altas doses do medicamento; caso ocorram, o tratamento é de suporte sintomático.

Composição

Cada comprimido contém:
Dexametasona .................... 0,5mg; 0,75mg; 4,0mg.

Excipientes: amido de milho, dióxido de silício, estearato de magnésio, croscarmelose sódica, celulose microcristalina, lactose.

Cada grama do creme dermatológico contém:
21-Acetato de Dexametasona ....................1mg.

Veículos: metilparabeno, propilparabeno, polawax, propilenoglicol, citrato de sódio, ácido cítrico anidro, cetiol V, água deionizada.

Cada ml do elixir contém:
Dexametasona base ....................0,1mg.

Veículos: Sacarina sódica, ciclanato de sódio, propilparabeno, vanilina, sorbitol 70%, álcool etílico, corante vermelho, ponceaux, essência de cereja, metilparabeno, água deionizada.

Apresentação

Comprimido: Caixa contendo 20 comprimidos de 0,75mg e 0,5mg.

Caixa contendo 10 comprimidos de 4,0mg.

Creme dermatológico: Caixa com 01 bisnaga com 10g.

Elixir: Caixa com 01 frasco de vidro com 100ml.

Interações Medicamentosas

Ácido acetilsalicílico deve ser utilizado cautelosamente em conjunção com os corticosteróides na hipoprotrombinemia. A difenil-hidantoína (fenitoína), o fenobarbital, a efedrina e a rifampicina podem acentuar a depuração metabólica dos corticosteróides, suscitando redução dos níveis sangüíneos e diminuição de sua atividade fisiológica, o que exigirá ajuste na posologia do corticosteróide. Essas interações podem interferir nos testes de inibição da DEXAMETASONA, que deverão ser interpretados com cautela durante a administração destas drogas. Foram relatados resultados falso-negativos no teste de supressão da DEXAMETASONA em pacientes tratados com indometacina. O tempo de protrombina deve ser verificado freqüentemente nos pacientes que estejam recebendo simultaneamente corticosteróides e anticoagulantes cumarínicos, dadas as referências de que os corticosteróides tem alterado a resposta a estes anticoagulantes cumarínicos. Estudos tem mostrado que o efeito usual da adição dos corticosteróides é inibir a resposta aos cumarínicos, embora tenha havido algumas referências conflitantes de potenciação, não corroborada por estudos. Quando os corticosteróides são administrados simultaneamente com diuréticos espoliadores de potássio, os pacientes devem ser observados estritamente quando ao desenvolvimento do hipocalemia. Além disso, os corticosteróides podem afetar os testes de Nitroaxuletrazol (NBT) para infecções bacterianas, produzindo falsos resultados negativos.

Laboratório

Indústria Brasileira

publicidade