Daonil

publicidade

Bula do remédio Daonil. Classe terapêutica dos Hipoglicemiantes Orais. Princípios Ativos Glibenclamida e Cicloexilureia.

Indicação

Para que serve Daonil?

Diabetes melito não-insulinodependente (tipo II).

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Diabetes insulino-dependente, coma diabético, pré-coma e cetoacidose, insuficiência renal grave, hipersensibilidade à glibenclamida.

Posologia

Como usar Daonil?

Em geral, é uma terapia de longa duração, que deve ser prescrita e monitorada por um médico. A posologia inicial usual é de 1/2 a 1 comprimido de 5 mg ao dia; a posologia de manutenção usual é de 5 mg a 10 mg ao dia, e a dose diária máxima é de 15.mg.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Principais reações adversas: Sintomas gastrintestinais (náuseas, vômito, dor abdominal, plenitude gástrica, diarréia); reações alérgicas ou pseudoalérgicas (por exemplo prurido, erupções, urticária incluindo choque evasculite alérgica; hipersensibilidade à luz; hipersensibilidade cruzada às sulfonamidas ou seus derivados; trombocitopenia, anemia hemolitica, eritrocitopenia, leucopenia, agranulocitose, pancitopenia; elevação dos níveis das enzimas hepáticas, comprometimento da função hepática (por exemplo, com colestasia, ictericia), hepatite, insuficiência hepática; hipoglicemia e outros sinais de contra-regulação adrenérgica; alteração da fala, visão e sensação de paralisia; redução da concentração sérica de sódio; comprometimento da capacidade de dirigir ou operar máquinas.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Controle periódico dos níveis de glicose no sangue e na urina. Sinais de hiperglicemia (sede severa, secura na boca, pele seca e diurese freqüente) e de hipoglicemia (fome intensa, sudorese, tremor, agitação, irritabilidade, cefaléias, distúrbios do sono, depressão do humor e distúrbios neurológicos transitórios ex.: alterações da fala, visão e sensação de paralisia). Ausência de sintomas, ou sintomas leves, de hipoglicemia, como, por exemplo, em pacientes com neuropatia autonômica ou que estejam em tratamento com betabloqueadores, clonidina, reserpina, guanetidina, ou outros fármacos simpaticolíticos. Substituição temporária por insulina nos casos de stress muito grande. Os pacientes alérgicos aos derivados da sulfonamida também podem desenvolver reações alérgicas à glibenclamida. Gravidez e lactação: Não deve ser administrado.

Apresentação

Embalagem com 30 comprimidos sulcados de 5 mg.

Para maiores informações antes de sua prescrição, favor ler bula completa do produto.

Interações Medicamentosas

Potencialização da ação hipoglicemiante da glibenclamida com insulina ou outro antidiabético oral, inibidores da ECA, esteróides anabólicos e hormônios sexuais masculinos, azapropazona, cloranfenicol, derivados cumarínicos, ciclofosfamida, disopiramida, fenfluramina, feniramidol; fibratos, fluoxetina, ifosfamida, inibidores da monoaminoxidase, miconazol, oxifenilbutazona, ácido paraminossalicílico, pentoxifilina, fenilbutazona, probenecida, quinolonas, selicilatos, sulfimpirazona, sulfonamidas, agentes simpaticolíticos (como betabloqueadores, guanetidina), tetraciclinas, tritoqualina, trofosfamida. Atenuação do efeito hipoglicemiante da glibenclamida com acetazolamida, barbituratos, corticosteróides, diazóxido, diuráticos, epinefrina (adrenalina) e outros agentes simpatomiméticos, glucagon; laxantes (depois de uso prolongado), ácido nicotínico (em doses elevadas), estrogênios e progestágenos, fenotiazinas, fenitoína, rifampicina, hormônios tiroideanos. Potencialização ou atenuação do efeito hipoglicemiante com antagonistas H 2 clonidina, reserpina, ingestão aguda ou crônica de álcool. Redução ou ausência de sinais de contra-regulação adrenérgica, fármacos simpaticolíticos (como betabloqueadores, clonidina, guanetidina, reserpina). A glibenclamida pode tanto potencializar como diminuir o efeito dos derivados cumarinicos.

Laboratório

Hoechst Marion Roussel

Tel: 55 (011) 5683-7847

publicidade