Colchis 0,5 mg

publicidade

Bula do remédio Colchis 0,5 mg. Classe terapêutica dos Antigotosos. Princípios Ativos Colchicina.

Indicação

Para que serve Colchis 0,5 mg?

Antiinflamatório indicado no tratamento das crises agudas de gota e na prevenção das crises agudas nos doentes crônicos (artrite gotosa aguda e crônica).

A colchicoterapia pode ser indicada em casos de escleroderma, poliartrite da sarcoidose e psoríase ou febre familiar do Mediterrâneo.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Nas insuficiências renais, hepáticas ou cardíacas
severas e durante a gravidez.

Posologia

Como usar Colchis 0,5 mg?

A Colchicina deve ser administrada ao primeiro sinal de
ataque agudo de gota.

A dose deve ser reduzida se ocorrer debilidade muscular, náuseas, vômitos ou diarréia. O intervalo entre as doses deve ser aumentado nos pacientes crônicos cuja taxa de filtração glomerular seja menos do que 10 ml/minuto.

Deve-se levar em consideração, ao administrar Colchicina, a sua estreita margem de segurança.

A quantidade total de Colchicina que se necessita para controlar a dor e a inflamação durante um ataque agudo de gota, oscila habitualmente entre 4 a 10 mg.

Adultos Antigotosos
Prevenção: 1 comprimido de 0,5 mg (500 mcg), uma a três vezes ao dia.

Os pacientes com gota submetidos à cirurgia, devem tomar 1 comprimido três vezes ao dia, durante 3 dias antes e 3 dias depois da intervenção cirúrgica.

Tratamento: (alívio do ataque agudo) Oral, inicialmente 0,5 mg a 1,5 mg seguido de 1 comprimido a intervalos de 1 hora, ou de 2 horas, até que ocorra o alívio da dor ou apareçam náuseas, vômitos ou diarréia.

A dose máxima alcançada deve ser de 10 mg.

Os pacientes crônicos podem continuar o tratamento com 2 comprimidos ao dia por até 3 meses, a critério médico.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Os distúrbios digestivos: diarréia, náuseas e, mais raramente, vômitos são os primeiros sinais de superdosagem e impõem a redução das doses ou a
interrupção do tratamento.

Raramente podem ocorrer problemas hematológicos como leucopenia ou neutropenia.

Excepcionalmente verifica-se a azooespermia que é reversível com a interrupção do tratamento.

Outras reações relatadas foram urticária e erupções cutâneas; debilidade muscular e urina sanguinolenta.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

A dose tóxica é de aproximadamente 10 mg.

As doses que provocam reações capazes de levar à morte são ao redor de 40 mg.

Sinais
Clínicos: Latência de 1 a 8 horas, em média 3 horas.

Digestivos: Dores abdominais difusas, vômitos, diarréia abundante provocando desidratação, hipotensão e problemas circulatórios.

Hematológicos: Hiperleucocitose seguida de leucopenia e hipoplaquetose por ataque medular. Coagulação intravascular disseminada.

Outros: Polipnéia freqüente e alopécia no 10º dia.

Evolução imprevisível. Pode ocorrer morte no 2º ou 3º dia por desequilíbrio hidroeletrolítico ou choque séptico.

Tratamento
Não há antídoto específico para a Colchicina.

O paciente deve ser tratado em meio hospitalar.

A eliminação da droga pode ser tentada por lavagem gástrica seguida de aspiração duodenal.

O tratamento é sintomática: reequilíbrio hidro-eletrolítico e antibioticoterapia geral e digestiva.

Avaliação dos sinais vitais e do sistema cardiovascular.

Composição

Cada comprimido contém: 0,5 mg
Colchicina base 0,5 mg
Excipientes* qsp 1 com
*Excipientes: Amido, Polivinilpirrolidona K30, Lactose,
Croscarmelose sódica, Estearato de Magnésio, Corante
amarelo FD&C 5 no comprimido de 0,5 mg.

Apresentação

Comprimidos de 0,5 mg: caixa com 20 comprimidos

Interações Medicamentosas

Os medicamentos neoplásicos rapidamente citolíticos, a bumetamida, diazóxido, diuréticos tiazídicos, furosemida, pirazinamida ou triantereno, podem aumentar a
concentração plasmática de ácido úrico e diminuir a eficácia do tratamento profilático da gota.

A Colchicina pode aumentar os efeitos depressores sobre a medula óssea dos medicamentos que produzem discrasias sangüíneas ou da radioterapia.

O uso simultâneo com fenilbutazona pode aumentar o risco de leucopenia ou trombocitopenia, bem como de ulceração gastrintestinal.

A vitamina B12 pode ter absorção alterada, podendo ser necessário administrar doses adicionais da vitamina.

A ingestão de bebidas alcoólicas ou pacientes alcoólatras podem ter aumentado o risco de toxicidade gastrintestinal. O álcool aumenta as concentrações
sangüíneas de ácido úrico, podendo diminuir a eficácia do tratamento profilático da droga.

Pacientes Idosos

Os pacientes idosos podem ser mais sensíveis à toxicidade Cumulativa da colchicina. as doses e cuidados para Pacientes idosos, são as mesmas recomendadas para os Adultos.

Laboratório

Apsen Farmacêutica S.A.

Tel: (11) 5644.8200

publicidade