Cloreto de Potássio

Bula de Cloreto de Potássio

Bula do remédio genérico Cloreto de Potássio. Classe terapêutica dos Eletrolitos. Princípios Ativos Cloreto de Potássio.

publicidade

Indicação

Para quê serve Cloreto de Potássio?

A hipocalemia geralmente é acompanhada de alcalose metabólica.

Assim, o cloreto de potássio é o sal de escolha para repor estoques de potássio exauridos por diuréticos tiazídicos ou de alça, por diarréia intensa e pelo uso de corticosteróides em conseqüência de doenças das supra-renais ou nas doenças tubulares renais.

Pode também ser usado em pacientes nos quais a depleção de potássio representa risco elevado, como pacientes cirróticos ou digitalizados.

Também é usado para tratar de intoxicações digitálicas e paralisia periódica hipocalêmica.

Uso adulto e pediátrico

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Sendo formado por potássio e cloreto, dois íons normais e abundantes no organismo, a administração de cloreto de potássio é seguida pela difusão destes íons para setores do espaço intra e extracelular.

A direção e a velocidade destas passagens são ditadas por fatores como a concentração prévia dos íons, presença de proteínas, hormônios, outros eletrólitos, etc.

Desta forma, torna-se problemático tentar enquadrar o sal dentro da farmacocinética convencional.

O cloreto de potássio é eliminado principalmente pela urina (90%) e parcialmente pelas fezes (10%).

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Hipercalemia de qualquer origem, insuficiência renal grave com oligúria, doença de Addison descompensada, paralisia periódica familiar,desidratação aguda em fase hipovolêmica, diarréia grave, nefropatia com perda de potássio, choque térmico, politraumatismos,pacientes que estejam recebendo diuréticos poupadores de potássio como a espirolactona e em portadores de anemia falciforme.

A relação risco-benefício também deve ser avaliada na presença de bloqueio cardíaco agudo ou completo.

Posologia

Como usar Cloreto de Potássio?

A posologia é muito variável e depende da indicação clínica e das perdas, no entanto, geralmente emprega-se as seguintes doses:

  • Adultos: Infusão IV, 10 a 15 mEq três ou quatro vezes ao dia, normalmente não mais que 3 mEq/Kg. Os pacientes que utilizam diuréticos tiazídicos ou de alça podem exigir 80 a 100 mEq ao dia.
  • Tratamento de urgência: Infusão IV, 400 mEq/dia numa concentração apropriada e com uma velocidade de até 20 mEq/hora;
  • Doses pediátricas: Infusão IV, 3 mEq/Kg/dia ou 40 mEq/m2/dia.

Um grama de cloreto de potássio proporciona 13,41 mEq de potássio.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

São de incidência rara:

  • Confusão;
  • Ritmos cardíacos irregulares;
  • Dispnéia;
  • Ansiedade;
  • Cansaço ou debilidade não habituais;
  • Peso nas pernas;
  • Inchaço ou formigamento nas mãos, pés ou lábios.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

A velocidade de infusão não deve ser rápida. Uma velocidade de 10mEq de potássio/hora é considerada segura enquanto o volume urinário for adequado.

Doses elevadas podem causar depressão cardíaca que pode levar à parada cardíaca.

Deve-se ter cuidado ao tentar corrigir a hipopotassemia para evitar uma sobrecompensação que possa resultar em hiperpotassemia acompanhada de arritmias cardíacas.

A concentração normal de potássio sérico nos adultos é de 3,5 a 5 mEq/L e 4,5 mEq/L é usado como referência.

Ao ultrapassar 6 mEq/L, é possível que as arritmias comecem.

É imprescindível que a função renal seja adequada já que os rins mantêm o equilíbrio normal de potássio.

Deve-se ter muito cuidado ao administrar potássio em pacientes com insuficiência renal ou adrenal, com cardiopatia ou desidratação aguda, choque térmico, destruição extensa de tecidos como ocorre em grandes queimaduras, ou ainda em pacientes que estão fazendo uso de diuréticos poupadores de potássio.

Cloreto de Potássio nagravidez: não se sabe se a solução de cloreto de potássio pode causar algum dano fetal ou pode afetar a capacidade de reprodução quando administrado a uma mulher grávida.

Da mesma maneira, não se sabe se este medicamento é excretado no leite materno.

Risco de gravidez (FDA): categoria c.

Uso na pediatria: a segurança do uso e a eficácia da solução de cloreto de potássio em pacientes pediátricos, não foram completamente estabelecidos por estudos adequados e bem-controlados.

No entanto, o seu uso em pacientes pediátricos mostrou ser seguro e eficaz para as indicações propostas.

Conforme relatado na literatura, a seleção da dosagem e a taxa constante da infusão devem ser selecionados com cuidado em pacientes pediátricos, particularmente nos neonatos e crianças de baixo peso, devido ao risco maior de hiperpotassemia.

Pacientes idosos:todo medicamento deve ser administrado com cautela e sob prescrição médica, pois estes normalmente apresentam variações fisiológicas (como aumento do percentual de gordura corporal, diminuição da função renal e hepática, etc.) que podem alterar o efeito do medicamento.

Deve-se ter cuidado na utilização da solução em pacientes com problemas cardíacos, gastrintestinais, renais ou hepáticos.

Interações Medicamentosas

- Inibidores da enzima conversora de angiotensina (ECA), antiinflamatórios não esteróides, betabloqueadores, heparina e suplementosque contém potássio, podem aumentar as concentrações séricas de potássio e produzir hipercalemia, especialmente no caso deinsuficiência renal;

- Glicosídeos digitálicos usados na insuficiência cardíaca com bloqueio, o potássio sérico deve ser monitorado;

- Insulina e bicarbonato de sódio, diminuem a concentração sérica de potássio;

- Diuréticos tiazídicos, podem aumentar o risco de hiperpotassemia;

- Uso crônico ou abuso de laxativos, pode reduzir as concentrações séricas de potássio;

- Substitutos de sal ou inibidores da ECA (captopril, enalapril, lisinopril), podem causar hiperpotassemia;

- O uso simultâneo com quinidina potencializa os efeitos antiarrítmicos da mesma;

- Adrenocorticóides podem diminuir seus efeitos;

- Ciclosporina pode causar hiperpotassemia devido ao hipoaldosteronismo;

- Sangue de bancos de sangue, diuréticos poupadores de potássio, leite com baixo teor salino e outros fármacos contendo potássio, promovem acúmulo de potássio com possível hiperpotassemia resultante, sobretudo em pacientes com insuficiência renal.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Fatores contribuintes para hipercalemia são a transfusão de sangue, o uso de diuréticos poupadores de potássio, insuficiência adrenocortical ou renal, acidose, queimaduras extensas ou politraumatismos.

As manifestações incluem fraqueza muscular, parestesias, paralisias, hipotensão, arritmias e parada cardíaca.

Hipercalemias fatais podem se desenvolver de forma rápida e sem sintomas.

O tratamento consiste no uso do gliconato de cálcio, infusão de soluções concentradas de glicose, resinas trocadoras de cátions (por enema ou por via oral), insulina e, quando indicado, bicarbonato de sódio.

Diálise peritoneal ou extracorpórea podem ser cogitadas nos casos mais graves.

Composição

Cloreto de Potássio 10%
Cada mL contém:
cloreto de potássio (D.C.B.: 02415) ............................................................................... 100mg
Excipientes: EDTA Dissódico e água para injeção.
Conteúdo eletrolítico:
potássio .................................................................................................................... 1,34mEq/mL
cloro ........................................................................................................................... 1,34mEq/mL
Osmolaridade:2,682mOsm/mL
Cloreto de Potássio 15%
Cada mL contém:
cloreto de potássio (D.C.B.: 02415) ............................................................................... 150mg
Excipientes: EDTA Dissódico e água para injeção.
Conteúdo eletrolítico:
potássio .................................................................................................................... 2,02mEq/mL
cloro .......................................................................................................................... 2,02mEq/mL
Osmolaridade:4,024mOsm/mL
Cloreto de Potássio 19,1%
Cada mL contém:
cloreto de potássio (D.C.B.: 02415) ............................................................................... 191mg
Excipientes: EDTA Dissódico e água para injeção.
Conteúdo eletrolítico:
potássio .................................................................................................................... 2,56mEq/mL
cloro .......................................................................................................................... 2,56mEq/mL
Apresentação:

  • Solução Injetável 10% - Caixa com 200 ampolas plásticas de 10mL
  • Solução Injetável 15% - Caixa com 200 ampolas plásticas de 10mL
  • Solução Injetável 19,1% - Caixa com 200 ampolas plásticas de 10mL

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Mantenha o produto em temperatura ambiente (15ºC a 30ºC), protegido da luz e umidade.

Prazo de validade: O Prazo de Validade é de 24 meses após a fabricação, conforme impresso no rótulo.

Dizeres Legais

Reg. M.S. Nº : 1.0311.0092
Resp. Técnico: Heno Jácomo Perillo - CRF-GO nº 3

Venda sob prescrição médica
Uso restrito a hospitais

publicidade