Cisplatina

Bula de Cisplatina

Bula do remédio genérico Cisplatina. Classe terapêutica dos Antineoplásicos. Princípios Ativos Cisplatina.

publicidade

Indicação

Para quê serve Cisplatina?

Tratamento do câncer: tumores da cabeça e pescoço, pulmão, esofagiano, tireóide, mama, próstata, testículo, bexiga, colo do útero, ovário, tumores germinativos, sarcomas, linfomas, neuroblastoma e melanoma maligno.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Reações alérgicas à cisplatina ou outros componentes da fórmula.

Gravidez. Amamentação.

Disfunção renal prévia e depressão medular.

Posologia

Como usar Cisplatina?

Via intravenosa, 60 a 120mg/m 2 a cada 3 a 4 semanas, ou 40mg/m 2 semanal.

A dose e a duração da terapia deverão ser ajustadas ao tipo de neoplasia.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Nefrotoxicidade, ototoxicidade, anorexia, insuficiência renal, náusea, vômito, mucosite, mielodepressão, anemia, neurotoxicidade, distúrbios hidroeletrolíticos, hiperuricemia, toxicidade ocular, hepatotoxicidade, anafilaxia.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Uso de drogas com potencial ototóxico ou nefrotóxico deve ser evitado ou adequadamente monitorizado.

Monitorar a função renal e hepática, bem como possíveis alterações neurológicas e auditivas, antes e depois da terapia com cisplatina.

Métodos contraceptivos devem ser realizados durante o tratamento com cisplatina e, no mínimo, 3 meses após o tratamento.

Deverá ser feita uma hidratação antes, durante e após a sua administração em virtude da nefrotoxicidade. Controle hematológico antes de cada administração.

Evitar contato direto com a pele, principalmente quem prepara e administra a droga. Se caírem gotas de cisplatina na pele, deve ser lavada imediatamente com água e sabão.

Suspender imediatamente a administração em caso de extravasamento.

Laboratórios

Asta Médica.

Interações Medicamentosas

Vacinas por vírus vivos.

Aminoglicosídeos, vancomicina, cefalotina e furosemida potencializam a nefrotoxicidade da cisplatina.

Alcalóides da vinca podem aumentar a neurotoxicidade.

Pode haver interações com radiação ionizante.

publicidade