Ciprofloxacino 500 mg

publicidade

Bula do remédio genérico Ciprofloxacino 500 mg. Classe terapêutica dos Antibióticos. Princípios Ativos cloridrato de ciprofloxacino.

Indicação

Para que serve Ciprofloxacino 500 mg?

Ciprofloxacino 500 mg comprimido é indicado no tratamento de infecções complicadas e não complicadas causadas por micro-organismos sensíveis ao ciprofloxacino:

  • Ciprofloxacino para o trato respiratório: recomendável em casos de pneumonias causadas por Klebsiella, Enterobacter, Proteus, E. coli, Pseudomonas, Haemophillus, Branhamella, Legionella e Staphylococcus.
  • Ciprofloxacino na dor de ouvido e sinusite: especialmente se a infecção for causada por organismos Gram-negativos, inclusive Pseudomonas e Staphylococcus.
  • Ciprofloxacino para olhos, rins e/ou trato urinário eferente, órgãos genitais, inclusive anexite, gonorreia e prostatite, cavidade abdominal, pele e tecidos moles; Ossos e articulações e sepse.

Ciprofloxacino também é indicado em caso de infecção ou risco iminente de infecção em pacientes com sistema imunológico comprometido como em pacientes em uso de imunossupressores ou pacientes neutropênicos, assim como na descontaminação intestinal seletiva em pacientes sob tratamento com imunossupressores.

Uso adulto - Uso oral

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

Ciprofloxacino 500 mg é um antibiótico de amplo espectro.

Se adequadamente indicado, os sinais e sintomas da doença devem melhorar em no mínimo três dias de tratamento correto.

Posologia

Como usar Ciprofloxacino 500 mg?

Salvo prescrição médica contrária, as seguintes doses são recomendadas:

IndicaçõesDose diária para adultos
ciprofloxacino (mg)
Infecção do trato respiratório(de acordo com a gravidade e agente etiológico)2 x 250 a 500 mg
Infecção do trato urinário

Aguda, não complicada;

Cistite em mulheres da menopausa;

Complicada.

1 a 2 x 250 mg

Dose única 250 mg

2 x 250 mg a 500 mg

Gonorreia

Extragenital;

Aguda, não complicada.

Dose única 250 mg

Dose única 250 mg

Diarreia1 a 2 de 500 mg
Outras Infecções2 x 500 mg
Infecções graves, com risco de vidaPneumonia estreptocócica, com risco de vida infecções recorrentes em fibrose cística, infecções ósseas
e das articulações, septicemia, peritonite (principalmente
causadas por Pseudomonas,
Staphylococcus ou Streptococcus).
2 x 750 mg

Os comprimidos devem ser deglutidos inteiros com um pouco de líquido, independentemente das refeições; quando ingeridos com o estômago vazio, a substância ativa é absorvida mais rapidamente.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Ciprofloxacino pode provocar reações gastrintestinais (náusea, vômito, diarreia, dor abdominal, monilíase ou sapinho e flatulência), sensação de cansaço e fraqueza, reações de pele (vermelhidão, coceira e inchaço), dores nas articulações, tontura, dor de cabeça, insônia, agitação e alterações do paladar.

Essas reações são incomuns, porém, em qualquer eventualidade, informe a seu médico.

Se ocorrer diarreia persistente, o tratamento deve ser suspenso e o médico consultado.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

O cloridrato de ciprofloxacino não deve ser usado em casos de hipersensibilidade aos derivados quinolônicos.

Exceto em casos de exacerbação da fibrose cística associada ao Pseudomonas aeruginosa, o ciprofloxacino é contra-indicado a crianças e adolescentes em fase de crescimento (entre 5 e 17 anos de idade), salvo quando os benefícios do tratamento puderem superar os riscos.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Como outras drogas de sua classe, o ciprofloxacino demonstrou ser causa de artropatia em articulações que suportam peso em animais imaturos.

Embora a análise dos dados de segurança disponíveis a respeito do uso do ciprofloxacino em pacientes com menos de 18 anos de idade, em sua maioria portadores de fibrose cística, não tenha revelado qualquer evidência de danos a cartilagens ou articulações que pudessem ser relacionados ao uso do produto, geralmente não se recomenda sua utilização à população de pacientes pediátricos.

Pode ocorrer um aumento temporário das transaminases e da fosfatase alcalina, ou icterícia colestática, especialmente em pacientes com doença hepática anterior.

Em pacientes portadores de epilepsia ou com distúrbios do Sistema Nervoso Central (SNC) (ex.: limiar convulsivo reduzido, antecedentes de convulsão, redução do fluxo cerebral, lesão cerebral ou acidente vascular cerebral), cloridrato de ciprofloxacino deve ser administrado se os benefícios do tratamento forem superiores aos possíveis riscos, por eventuais efeitos colaterais sobre o SNC. Em alguns casos, essas reações ocorreram logo após a primeira administração de cloridrato de ciprofloxacino. Raramente podem ocorrer depressão ou reações psicóticas, que possam evoluir para um comportamento de auto-exposição a riscos. Nesse caso, cloridrato de ciprofloxacino deve ser suspenso.

Em alguns casos, reações alérgicas e de hipersensibilidade podem ocorrer após a primeira administração. Raramente reações anafiláticas ou anafilactóides podem progredir para um estado de choque, com risco de vida em alguns casos, após a primeira administração. Em tais circunstâncias, a administração de cloridrato de ciprofloxacino deve ser interrompida e instituído tratamento médico adequado (ex.: tratamento para choque).

Ao primeiro sinal de tendinite (ex.: distensão dolorosa), a administração de cloridrato de ciprofloxacino deve ser suspensa e evitados os exercícios físicos. Em alguns casos, durante a administração de cloridrato de ciprofloxacino, predominantemente em pacientes idosos em tratamento sistêmico anterior com glicocorticoides, observou-se aquilotendinite, que pode ocasionar a ruptura do tendão de Aquiles.

O ciprofloxacino pode induzir reações de fotossensibilidade na pele. Portanto, deve-se evitar a exposição direta e excessiva ao sol ou à luz ultravioleta. O tratamento deve ser descontinuado se ocorrer fotossensibilização.

Durante o tratamento, o paciente não deve dirigir ou operar máquinas, pois sua habilidade e atenção podem estar prejudicadas, principalmente com a ingestão concomitante de álcool.

Ciprofloxacino na gravidez e lactação: não deve ser administrado a mulheres grávidas ou às que estejam amamentando.

Informe ao seu médico a ocorrência de gravidez na vigência do tratamento ou após o seu término.

Informe também se estiver amamentando.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Em casos de superdose oral aguda, registrou-se ocorrência de toxicidade renal reversível.

Portanto, além das medidas habituais de emergência, recomenda-se monitorizar a função renal e administrar antiácidos contendo magnésio ou cálcio, para reduzir-se a absorção de ciprofloxacino.

Apenas uma pequena quantidade de ciprofloxacino (< 10%) é eliminada após hemodiálise ou diálise peritoneal.

Composição

Cada comprimido contém:

ciprofloxacino (na forma de cloridrato de ciprofloxacino).................................... 500 mg

Excipientes: celulose microcristalina, amido de milho, crospovidona, sílica coloidal hidratada, estearato de magnésio, hipromelose, dióxido de titânio, macrogol.

Apresentação: comprimidos revestidos - embalagens contendo 6 e 14 comprimidos revestidos.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Conservar em temperatura ambiente (entre 15ºC e 30º C).

Proteger da luz e umidade.

O que devo fazer quando eu me esquecer de usar este medicamento?

Caso você se esqueça de tomar uma das doses, tome-a assim que possível, no entanto, se estiver próximo do horário da dose seguinte, espere por este horário, respeitando sempre o intervalo determinado pela posologia.

Nunca tome duas doses de uma só vez.

Laboratório

Merck S.A.

SAC: 0800 7277293

Dizeres Legais

MS 1.0089.0315
Farm. Resp.: Marcos A. Silveira Jr. - CRF-RJ nº 6403

publicidade