Cinarizina

Bula de Cinarizina

Bula do remédio genérico Cinarizina. Classe terapêutica dos Antivertiginosos e Vasodilatadores. Princípios Ativos Cinarizina.

publicidade

Indicação

Para quê serve Cinarizina?

Cinarizina é indicada para:

Distúrbios circulatórios cerebrais: Prevenção e tratamento dos sintomas de espasmo vascular cerebral e arteriosclerose como tontura, zumbido no ouvido, cefaleia vascular, falta de sociabilidade e irritabilidade, fadiga (cansaço), distúrbios do sono como despertar precoce, depressão de involução, perda de memória, falta de concentração, incontinência e outros distúrbios devidos à idade. Sequelas de traumas crânio-encefálicos. Sequelas funcionais pós-apopléticas. Enxaqueca (dor de cabeça).

Distúrbios circulatórios periféricos: Prevenção e tratamento dos sintomas que acompanham os distúrbios circulatórios periféricos (arteriosclerose, tromboangeíte obliterante, moléstia de Raynaud, diabete, acrocianose, etc), tais como: claudicação intermitente, distúrbios tróficos, pré-gangrena, úlceras varicosas, parestesia, câimbra noturna, extremidades frias.

Distúrbios do equilíbrio: Prevenção e tratamento dos sintomas dos distúrbios do equilíbrio (arteriosclerose labiríntica, irritabilidade do labirinto, Síndrome de Menière), tais como vertigem, tontura, zumbido, nistagmo, náuseas e vômitos. Prevenção dos distúrbios de movimento.

Uso adulto - Uso oral

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

O controle dos sintomas é observado progressivamente com o decorrer de algumas semanas de tratamento.

Posologia

Como usar Cinarizina?

  • Distúrbios circulatórios cerebrais:

1 comprimido de 25 mg 3 vezes ao dia, ou 1 comprimido de 75 mg diariamente.

  • Distúrbios circulatórios periféricos:

2 a 3 comprimidos de 25 mg 3 vezes ao dia, ou 2 a 3 comprimidos de 75 mg ao dia.

  • Distúrbios do equilíbrio:

1 comprimido de 25 mg 3 vezes ao dia, ou 1 comprimido de 75 mg diariamente.

  • Distúrbios do movimento:

1 comprimido de 25 mg meia hora antes de viajar e repetindo cada 6 horas.

A cinarizina deverá ser tomado, preferivelmente, após as refeições.

A dose máxima recomendada não deve exceder 225 mg. Como o efeito da cinarizina sobre vertigens é dose dependente, a dose deve ser aumentada progressivamente.

Efeitos Colaterais

Quais os males que este medicamento pode me causar?

Os seguintes efeitos colaterais foram relatados por ≥ 1% dos indivíduos tratados com cinarizina em 3 estudos clínicos em pacientes com doenças circulatórias periféricas, 1 com doenças circulatórias cerebrais, 2 com vertigem e 1 com enjoo: sonolência (8,3%).

Os seguintes efeitos colaterais foram relatados por ≥ 1% dos indivíduos tratados com cinarizina em outros estudos clínicos para doenças circulatórias periféricas, doenças circulatórias cerebrais e vertigem: náuseas (1,5%); aumento de peso (2,1%).

Os seguintes efeitos colaterais foram relatados por ≥ 1% dos indivíduos tratados com cinarizina em estudos clínicos: náuseas (1,5%); aumento de peso (2,1%).

Os seguintes efeitos colaterais foram relatados por < 1% dos indivíduos tratados com cinarizina em 2 estudos clínicos: hipersonia; letargia; desconforto estomacal; vômito; dor abdominal superior; dispepsia; hiperidrose; fadiga.

Os seguintes efeitos colaterais identificados durante a experiência de pós-comercialização com a cinarizina estão listadas a seguir:

Efeitos colaterais muito raros

  • Distúrbios do Sistema Nervoso: discinesia, síndrome extrapiramidal, parkinsonismo, tremor.
  • Distúrbios de Pele e Tecido Subcutâneo: ceratose liquenoide, líquen plano, lúpus eritematoso cutâneo subagudo.
  • Distúrbios Musculoesqueléticas de Tecido Conectivo e Ossos: rigidez muscular.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Não tome Cinarizina se você tiver hipersensibilidade (alergia) a cinarizina ou aos excipientes da fórmula.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Atenção: Este medicamento contém açúcar, portanto, deve ser usado com cautela em portadores de Diabetes.

Se você tiver Doença de Parkinson, informe seu médico. Ele decidirá se você pode usar cinarizina.

A cinarizina, como os outros anti-histamínicos, pode causar desconforto gástrico. A administração do medicamento após as refeições pode diminuir a irritação gástrica.

A cinarizina pode causar sonolência, especialmente no início do tratamento. Portanto, deve-se tomar cuidado com o uso concomitante de álcool, depressores do Sistema Nervoso Central (SNC) ou antidepressivos tricíclicos.

Especialmente no começo do tratamento, a cinarizina pode causar sonolência, que pode diminuir sua atenção e reduzir sua capacidade de dirigir. Assim, você deve ter cuidado ao operar máquinas ou dirigir enquanto estiver usando cinarizina.

Cinarizina na gravidez e amamentação: não se aconselha o uso da cinarizina durante a gestação. Se você estiver grávida ou planeja engravidar, informe seu médico. Ele decidirá se você pode tomar cinarizina.

Se você estiver tomando cinarizina, você não deve amamentar porque pequena quantidade do medicamento pode ser liberada no leite.

Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

Interações Medicamentosas

Medicamentos para depressão e medicamentos que possam prejudicar suas reações (remédios para dormir tranquilizantes e analgésicos fortes) podem ter efeito calmante aumentado quando ingeridos com cinarizina.

Álcool e cinarizina quando ingeridos concomitantemente têm seu efeito sedativo potencializado. Portanto, você deve limitar a quantidade de bebida alcoólica ingerida enquanto estiver usando cinarizina.

Devido ao seu efeito anti-histamínico, a cinarizina pode impedir reações positivas aos indicadores de reatividade dérmica se utilizado por até quatro dias antes do teste cutâneo. Se você tomou cinarizina 4 dias antes da realização destes testes, informe seu médico.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada deste medicamento?

Ingerindo cinarizina em excesso, os seguintes sinais ou sintomas podem ocorrer: alterações do nível de consciência desde sonolência até perda de consciência, vômito, fraqueza muscular ou falta de coordenação e convulsões. Óbito associado à superdose de cinarizina foi relatado.

Não há antídoto específico. Em caso de superdose, o tratamento é sintomático e de suporte.

O que devo fazer quando eu me esqurecer de usar este medicamento?

Se você se esquecer de tomar o medicamento, tome a próxima dose conforme planejado e continue o tratamento como orientado pelo médico.

Não dobre a dose.

Composição

Cinarizina 25 mg

Cada comprimido de 25 mg contém:
cinarizina ......................................................................................... 25,00 mg

excipiente* ........................................................................................... 1 comprimido
*lactose monoidratada, povidona, sacarose, amido, talco, estearato de magnésio e água purificada

Cinarizina 75 mg

Cada comprimido de 75 mg contém:

cinarizina ......................................................................................... 75,00 mg

excipiente* ........................................................................................... 1 comprimido
*lactose monoidratada, povidona, sacarose, amido, talco, estearato de magnésio e água purificada.

Apresentação:

  • Cinarizina comprimidos de 25 mg em embalagens contendo 10 ou 30 comprimidos. ​
  • Cinarizina comprimidos de 75 mg em embalagens contendo 10 ou 30 comprimidos.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Você deve conservar este medicamento em temperatura abaixo de 25ºC, protegido da luz e da umidade.

Guarde-o em sua embalagem original.

Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.

Aspecto físico:

  • Cinarizina 25 mg: comprimido branco a quase branco, redondo, biconvexo com linha de quebra em um dos lados. ​
  • Cinarizina 75 mg: comprimido branco a quase branco, redondo, superfície plana, com borda chanfrada e com linha de quebra em um dos lados.

Laboratório

Nova Química farmaceutica LTDA

Dizeres Legais

MS - 1.2675.0062
Farmacêutica Responsável: Dra. Ana Paula Cross Neumann – CRF-SP n° 33.512

publicidade