AAS

publicidade

Bula do remédio genérico AAS. Classe terapêutica dos Analgésicos, Antiinflamatórios e Antipiréticos. Princípios Ativos Ácido Acetilsalicílico.

Indicação

Para que serve AAS?

AAS comprimido é indicado para alívio de dores de intensidade leve a moderada, como dor de cabeça, dor de dente, dor de garganta, dor menstrual, dor muscular, dor nas articulações, dor nas costas, dor da artrite e o alívio sintomático da dor e da febre nos resfriados ou gripes.

Uso adulto e pediátrico acima de 12 anos - Uso oral

Farmacocinética

Como funciona este medicamento?

O AAS contém a substância ativa ácido acetilsalicílico, do grupo de substâncias antiinflamatórias não-esteróides, eficazes no alívio de dor, febre e inflamação.

O ácido acetilsalicílico inibe a formação excessiva de substâncias mensageiras da dor, as prostaglandinas, reduzindo assim a susceptibilidade à dor.

Contraindicações

Quando não devo usar este medicamento?

Não tome AAS se:

  • for ser alérgico ao ácido acetilsalicílico ou a salicilatos ou a qualquer dos ingredientes do medicamento
  • não tiver certeza de ser alérgico ao ácido acetilsalicílico, consulte o seu médico;
  • tiver tendência para sangramentos;
  • tiver úlceras do estômago ou do intestino;
  • já tenha tido crise de asma induzida pela administração de salicilatos ou outras substâncias semelhantes;
  • estiver em tratamento com metotrexato em doses iguais ou superiores a 15 mg por semana;
  • estiver no último trimestre de gravidez.

Posologia

Como usar AAS?

Adultos:

Recomendam-se 1 a 2 comprimidos, se necessário repetidos a cada 4 a 8 horas. Não se deve tomar mais de 8 comprimidos por dia.

Crianças a partir de 12 anos:

Um comprimido, se necessário repetido a cada 4 a 8 horas. Não se deve administrar mais de 3 comprimidos por dia.

Em pacientes com mau funcionamento do fígado ou dos rins, as doses devem ser diminuídas ou o intervalo entre elas aumentado.

Como usar - Os comprimidos de AAS devem ser tomados com líquido, se possível após a ingestão de alimentos.

Não tome Aspirina com o estômago vazio.

Duração do tratamento - AAS é indicado para o alívio de sintomas ocasionais.

Não trate dor ou febre com AAS por mais de 3 ou 4 dias sem consultar seu médico ou dentista.

Efeitos Colaterais

Quais os males que pode me causar?

Como qualquer medicamento, AAS pode provocar efeitos indesejáveis:

  • Efeitos comuns: dor de estômago e sangramento gastrintestinal leve (micro-hemorragias).
  • Efeitos ocasionais: náuseas, vômitos e diarréia.
  • Casos raros: podem ocorrer sangramentos e úlceras do estômago, reações alérgicas em que aparece dificuldade para respirar e reações na pele, principalmente em pacientes asmáticos e anemia após uso prolongado, devida a sangramento oculto no estômago ou intestino.

Casos isolados podem ocorrer alterações da função do fígado e dos rins, queda do nível de açúcar no sangue e reações cutâneas graves.

Doses baixas de ácido acetilsalicílico reduzem a excreção de ácido úrico e isso pode desencadear ataque de gota em pacientes susceptíveis.

O uso prolongado pode causar distúrbios do sistema nervoso central, como dores de cabeça,tonturas, zumbidos, alterações da visão, sonolência ou anemia devida a deficiência de ferro.

Se ocorrer qualquer uma dessas reações indesejáveis ou ao primeiro sinal de alergia, deve-separar de tomar AAS. Informe o médico, que decidirá quais medidas devem ser adotadas.

Se notar fezes pretas, informe o médico imediatamente, pois é sinal de séria hemorragia no estômago.

Advertências e Precauções

O que devo saber antes de usar este medicamento?

Nos casos seguintes, o AAS só deve ser usado em caso de absoluta necessidade e sob cuidados especiais.

Consulte um médico se alguma das situações abaixo for seu caso ou já se aplicou no passado.

O uso de Aspirina requer cuidados especiais, por exemplo, doses mais baixas ou intervalo maior entre as doses e controle médico nas seguintes situações:

  • alérgico a outros analgésicos, antiinflamatórios e anti-reumáticos ou presença de outras alergias;
  • uso de medicamentos anticoagulantes; como por exemplo, heparina e derivados da cumarina;
  • asma brônquica;
  • distúrbios gástricos ou duodenais crônicos ou recorrentes e úlceras gastrintestinais;
  • mau funcionamento do fígado ou dos rins.

AAS na gravidez: você deve informar caso se engravidar durante tratamento prolongado com AAS.

Nos dois primeiros trimestres da gravidez, você só deverá usar por recomendação médica em casos de absoluta necessidade.

Você não deve tomar AAS nos últimos três meses de gravidez por risco de complicações para a mãe e o bebê durante o parto.

Pequenas quantidades do ácido acetilsalicílico e de seus produtos de metabolismo passam para o leite materno.

Como até o momento não se relatou nenhum efeito prejudicial para os bebês, você não precisa parar de amamentar se usar AAS para tratar a dor ou a febre
nas doses recomendadas e por períodos curtos.

Se, em casos excepcionais, houver necessidade de tratamento prolongado ou doses maiores (mais de 6 comprimidos por dia), você deve considerar a possibilidade de suspender a amamentação.

Crianças ou adolescentes não devem usar este medicamento para catapora ou sintomas gripais antes que um médico seja consultado sobre a síndrome de reye, uma doença rara, mas grave, associada a este medicamento.

Em caso de doença febril, o aparecimento de vômito prolongado pode ser sinal de Síndrome de Reye, uma doença que pode ser fatal, exigindo assistência médica imediata.

Precauções

Pacientes que sofrem de asma, de rinite alérgica sazonal, de pólipos nasais ou de doenças crônicas do trato respiratório, principalmente se acompanhadas de sintomas de rinite alérgica sazonal, ou pacientes que sejam alérgicos a qualquer tipo de analgésico/antiinflamatório ou anti-reumático, correm risco de sofrer crises de asma (asma por intolerância a analgésicos).

O mesmo se aplica a pacientes que apresentam alergias a outras substâncias como reações de pele, coceira e urticária.

AAS não deve ser usado por muito tempo ou em doses altas sem aconselhamento de um médico ou dentista.

Analgésicos usados por longos períodos e em doses altas em desacordo com as recomendações podem provocar dor de cabeça, que não deve ser tratada aumentando-se a dose do produto.

Em geral, o uso habitual de analgésicos, particularmente a
combinação de vários ingredientes ativos analgésicos, pode causar dano permanente nos rins,com risco de causar insuficiência renal (nefropatia provocada por analgésicos).

AAS não afeta a capacidade de dirigir veículos ou operar máquinas.

Interações medicamentosas

Algumas substâncias podem ter o seu efeito alterado se tomadas com AAS ou que podem influenciar o seu efeito. Esses efeitos também podem ser relacionados com medicamentos tomados recentemente.

AAS aumenta:

  • o efeito de medicamentos anticoagulantes (por ex. derivados de cumarina e heparina);
  • o risco de hemorragia gastrintestinal se for tomada com álcool ou medicamentos que contenham cortisona ou seus derivados;
  • o efeito de certos medicamentos usados para baixar a taxa de açúcar no sangue(sulfoniluréias);
  • os efeitos desejados e indesejados do metotrexato;
  • os níveis sanguíneos de digoxina, barbitúricos e lítio;
  • os efeitos desejados e indesejados de um grupo particular de medicamentos analgésicos/antiinflamatórios e anti-reumáticos (não-esteróides);
  • o efeito de certos antibióticos (sulfonamidas e associações de sulfonamidas, por ex.sulfametoxazol / trimetoprima);
  • o efeito da triiodotironina, um medicamento para o tratamento do hipotireoidismo;
  • o efeito do ácido valpróico, um medicamento usado no tratamento de epilepsia.

AAS diminui a ação de:

  • certos medicamentos que aumentam a excreção de urina (antagonistas de aldosterona e diuréticos de alça);
  • medicamentos para baixar a pressão arterial;
  • medicamentos para o tratamento da gota, que aumentam a excreção de ácido úrico (por ex. probenecida, sulfimpirazona).

Portanto, AAS não deverá ser usada sem orientação médica com uma das substâncias citadas acima.

Superdosagem

O que fazer se alguém usar uma quantidade maior do que a indicada?

Se alguém tomar uma dose muito grande, poderão ocorrer efeitos indesejáveis, como tontura e zumbido, sobretudo em crianças e idosos.

Esses sintomas podem indicar envenenamento grave.

No caso de superdose, contate seu médico, que decidirá sobre as medidas necessárias de acordo com a gravidade da intoxicação.

Se possível, leve a embalagem com os comprimidos.

Composição

Cada comprimido contém 500 mg de ácido acetilsalicílico.

Componentes inertes: amido e celulose

Apresentação: AAS é apresentadona forma de comprimidos com 500 mg de ácido acetilsalicílico em embalagens de 20, 24, 96, 100, 160, 200 e 240 comprimidos.

Armazenamento

Onde como e por quanto tempo posso guardar este medicamento?

Os comprimidos devem ser guardados na embalagem original, em temperatura ambiente (15 - 30°C).

Os comprimidos devem ser protegidos da umidade; portanto, só devem ser retirados da embalagem na hora de tomar.

Aspecto físico: AAS é um comprimido redondo e branco.

Características organolépticas AAS é um comprimido com leve cheiro característico.

Laboratório

Bayer S.A.

SAC: 0800 702 1241

publicidade